Posts Marcados Com: Paula Pimenta

Resenha – O LIVRO DAS PRINCESAS (Paula Pimenta, Patrícia Barboza, Meg Cabot, Lauren Kate)

Resenha O Livro das Princesas

O Livro das Princesas

Título: O Livro das Princesas
Autores: Paula Pimenta, Meg Cabot, Patrícia Barboza, Lauren Kate
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501403254
Categoria: Contos
Ano de Lançamento: 2013
Páginas: 288

 
 

Sinopse: As mais populares autoras contemporâneas norte-americanas, Meg Cabot (“Diário Da Princesa” e “A Mediadora”) e Lauren Kate (“Fallen”), se unem às brasileiras e igualmente bem-sucedidas Paula Pimenta (“Fazendo Meu Filme”) e Patricia Barboza (“As Mais”) em uma coletânea que reinventa contos de fadas clássicos.

 

Ganhei esse livro de presente de aniversário, mas confesso que já estava de olho nele fazia um tempo. O Livro das Princesas traz quatro contos, cada um baseado em um dos mais famosos contos de fadas, fazendo uma versão moderna e remodelada das famosas e eternas histórias infantis da Cinderela, da Rapunzel, da Bela Adormecida e da Bela e a Fera. Para ficar bem claro, esse é um livro juvenil e de entretenimento. É suave, de escrita fácil e fluida, e uma ótima opção para uma deliciosa e rápida leitura de distração.
O primeiro conto é o da autora Meg Cabot, que traz a versão da Bela e a Fera. Aqui, a Bela é uma modelo famosa que embarca num cruzeiro com sua família, onde encontra um rapaz misterioso que a salva de um ataque. O desenrolar já é evidente, mas a forma e a criatividade para nos recontar essa história tão famosa é o ponto forte da autora. Meg Cabot não decepciona, mas, me desculpe, o melhor conto não foi o dela, e sim o segundo, o da Paula Pimenta.
A Paula mais uma vez mostrou a escritora competente que é ao trazer uma história maravilhosa do conto moderno da Cinderela. É a maior história do livro e simplesmente a mais envolvente. Ficamos sem querer que acabe. Ela segue direitinho a história original e, ao mesmo tempo, reescreve toda a história tradicional. Aqui temos uma Cinderela que é DJ e se chama Cintia Dorella (até o nome é criativo já que remete muito ao nome Cinderela). Não vou contar a criatividade da autora ao escrever esse conto para não estragar as surpresas que vamos tendo a cada página.
O terceiro conto é da autora americana Lauren Kate e traz a história da Rapunzel. Com sinceridade, foi o mais sem graça. Não gostei do desenrolar da história e não prendeu minha atenção durante a leitura. O conto é narrado intercalando capítulos escritos pelo ponto de vista de Percy, com outros narrados por Talia, e mistura fantasia com contemporâneo. Até unicórnio a Lauren Kate conseguiu colocar nessa história.
O último conto é de outra autora brasileira, a Patrícia Barboza, mas eu nunca havia lido nada dela. A história é bem escrita, envolvente e divertida, mas identifiquei pouco do conto original. Baseada na Rapunzel, tirando os cabelos longos, a trama segue caminhos bem diferentes. Não que seja ruim, é criativo e prende a leitura.
De forma geral, O Livro das Princesas é um ótimo passatempo e pode agradar várias idades de leitores do sexo feminino, apesar de ser mais voltado para o público adolescente. Basta ter um coração romântico e ser apaixonada por contos de fadas para se encantar com esse livro. 😉

 
 
 
(Facebook      Twitter      Instagram)
 
Anúncios
Categorias: Lendo | Tags: , , , , , , | 5 Comentários

Resenha – FAZENDO MEU FILME 4, FANI EM BUSCA DO FINAL FELIZ (Paula Pimenta)

Resenha Fazendo meu filme 4 Paula Pimenta

Fazendo meu filme 4

Título: Fazendo meu filme 4 – Fani em busca do final feliz

Autor: Paula Pimenta

Editora: Gutenberg

ISBN: 9788589239394

Categoria: Literatura Nacional/Romance

Ano de lançamento: 2012

Páginas: 608

Esta resenha pode conter SPOILER dos volumes anteriores (para ler as resenha, clique: FAZENDO MEU FILME 1, FAZENDO MEU FILME 2, FAZENDO MEU FILME 3)

Sinopse: O destino pode ser cruel, como sua cartomante disse. O amanhã pode não existir, como escrevem os poetas. O mundo pode até acabar, como os cientistas preveem. Mas nada vai ter força para apagar o meu sentimento. Você pode ir para longe, se esconder, sumir. Mas eu vou continuar te amando. Para sempre.” Depois de uma ríspida separação, Fani e Leo agora têm que seguir caminhos diferentes. Porém, as juras de amor feitas no passado deixaram marcas profundas em seus corações, e, mesmo anos depois, eles ainda sentem as consequências daquele trágico dia. Será preciso mais um encontro, para que eles possam finalmente entender o que houve e libertar um ao outro? Ou será que isso devastaria ainda mais o seu destino? Acompanhe os apaixonantes personagens de Fazendo meu filme no livro final da série best-seller que conquistou milhares de leitores e leitoras em todo o Brasil. Não perca o desfecho dessa emocionante história de amor e prepare-se para torcer muito pela nossa querida Fani, nas cenas finais da sua busca pelo merecido final feliz.

“Claro que eu tinha meus momentos de felicidade. Mas ninguém é feliz o tempo todo. Ser feliz não é um característica estática, como ser louro ou moreno. Eu posso estar feliz agora e no segundo seguinte não estar mais.”

A Paula Pimenta finalizou a história da Fani em altíssimo nível. A série Fazendo meu filme começou como um Juvenil e acabou como um New Adult. E eu sentia como se tivesse acompanhado realmente de perto toda essa evolução das personagens, percebendo seus amadurecimentos e seus crescimentos profissionais. Os conflitos deixaram de ser adolescentes, a vida ganhou outras proporções, fora da proteção de papai e mamãe, com os protagonistas tendo que encarar a vida real com todas as suas dificuldades, que lutar para conquistar seus espaços no mercado de trabalho e realizar seus sonhos.

Diferente dos outros livros, não iniciamos a leitura exatamente do ponto onde o anterior parou. Agora há um salto no tempo de 5 anos. Já encontramos uma outra Fani, mais segura, independente, forte, madura. E ainda assim, sentimos que é a mesma Fani, de forma que a identificação com ela não muda. Não parece ser outra pessoa, mas a mesma apenas crescida. E a autora foi tão feliz na sua passagem do tempo, que não fica qualquer buraco. Ela preenche as lacunas aos poucos, através de feedbacks enquanto Fani vai contando sua vida para a amiga Gabi e relembrando os fatos mais marcantes de sua vida durante esses 5 anos. Vamos sabendo de tudo aos poucos, o que prende ainda mais a leitura. Só achei um tanto estranho o fato da Gabi, como melhor amiga e que manteve contato todos esses anos, não saber de nada que ocorreu com Fani durante esse período. Mas é apenas um detalhe irrelevante.

Profissionalmente, vemos uma Fani bem sucedida, já emocionalmente, vemos uma Fani incompleta, forte por fora, vazia por dentro. Algo faltava em sua vida. Ou melhor, alguém. Apesar desses 5 anos, ela não esqueceu o Leo. Seguiu com sua vida, estudou, se formou, fez pós-graduação em trilha sonora (quem diria, sua forma de manter-se próxima do Leo através da música), e estava participando da final de um festival de cinema em Los Angeles com seu filme. Mas acompanhamos seus sentimentos através das cartas que ela escrevia para Leo todos esses anos, sem nunca ter enviado. Ali fica claro que esses sentimentos não morreram e eram mais fortes que uma paixão adolescente.

A grande diferença do Fazendo meu filme 4 está na narrativa. Os outros foram todos narrados em primeira pessoa pela Fani, agora é intercalado, ou seja, temos uma parte narrada pelo Leo. Isso foi fundamental! Confesso que até esse livro eu não simpatizava totalmente com ele, mas ver as coisas sobre o seu ponto de vista acaba aproximando o leitor. Pude, então, perceber como ele é divertido, simples, íntegro, trabalhador e, principalmente, compreendi suas atitudes com relação ao término do Fazendo meu filme 3. Da mesma forma que Fani arrumou sua forma de permanecer conectada a Leo escrevendo cartas e se aproximando da música, ele continuou gravando CDs para ela e, após se formar em jornalismo, se especializou em cinema, começando um site sobre crítica cultural. Um influenciou a vida do outro mesmo à distância e sem querer.

O livro é enorme, mas nem dá para sentir o  passar das folhas. É divido em 3 partes. A primeira, foca na história da Fani, intercalando capítulos no presente com outros no passado. Isso nos situa nos anos que se passaram e nos traz as outras personagens da série como Natália e Alberto, Priscila e Rodrigo, Gabi, Christian, Ana Elisa, os pais da Fani. Todos continuam muito presentes. A segunda parte já traz a história do Leo nos últimos 5 anos, também misturando passado e presente. A última parte volta a narrativa para Fani e é o presente… até o final feliz. E esse final foi mais que perfeito.

Eu não conhecia a Paula Pimenta romancista, mas cheguei à conclusão de que ela pode escrever qualquer coisa que serei fã. Os livros são muito bem escritos, as personagens verossímeis, as cenas todas bem integradas e uma narrativa com perfeita sucessividade. De forma que seu trabalho atualmente reconhecido nacional e internacionalmente é mais que merecido

“Me lembrei de que você sempre se atrasava, mas que nunca faltou… como falta agora. Como esta cidade está incompleta sem você! Os dias continuam cinza, mas você não os colore mais. As noites continuam longas, e eu não sei se você ainda as preenche com música. Eu continuo sem senso de direção, mas não tenho mais você para errar o caminho comigo. O tempo continua sem esperar, mas eu não tenho mais tanta certeza de que algum dia poderei voltar aqui sem que seja contaminada por sua presença, tão marcante, ainda que invisível.”

 
 
(Nos acompanhem também noFacebook      Twitter      Instagram)
 
____________________________________________________________________________________

Posts relacionados:

Resenha – PERDIDA (Carina Rissi)

Resenha – AZAR O SEU! (Carol Sabar)

Resenha – SIMPLESMENTE ANA (Marina Carvalho)

Outras resenhas

Categorias: Lendo | Tags: , , , , , | 26 Comentários

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: