Posts Marcados Com: Fantasia

Resenha – FEÉRICA (Carolina Munhóz)

Resenha Feérica Carolina Munhóz

Feérica

Título: Feérica

Autor: Carolina Munhoz

Editora: Fantasy Casa da Palavra

ISBN: 9788577343744

Categoria: Literatura Nacional/Romance

Ano de lançamento: 2013

Páginas: 352

 

Sinopse: E se uma fada se revelasse em um reality show? Violet Lashian tem apenas um objetivo: ser famosa em seu mundo. Mas quem nunca se seduziu por esse pensamento? Ignorada pelas fadas de uma sociedade que preza a padronização, a jovem de cabelos roxos decide abandonar seu sofrimento em busca de um lugar entre as estrelas de Hollywood. Bastidores de reality shows. Festas badaladas. Encontros amorosos com jovens milionários. Entrevistas em rede mundial. Fama instantânea, dinheiro e poder. De repente, a feérica se vê cercada pela realidade com que sempre sonhou. Mas será que Violet é capaz de manter a pureza de sua raça mágica em um mundo corrompido pelo deslumbre material? E quais seriam as reais consequências de sua revelação para a existência oculta de seu povo? Você descobrirá tudo isso e muito mais nos próximos capítulos deste livro.

 

“A saudade é a nossa alma nos dizendo para onde ela quer ir.”

 

Eu gosto de livros de fantasia, mas nunca havia lido nada com fadas. Sempre em busca de livros de autores nacionais, me deparei com Feérica, da autora Carolina Munhóz. O livro traz a história da fada Violet Lashian, que vive em outra dimensão chamada Ablach. Deu para sentir que a criatividade vai longe, né? Pois bem, acontece que eu ia preferir se o livro se mantivesse nessa linha. Mas logo se mistura o mundo das fadas com o mundo dos humanos como conhecemos, fantasia com realidade. E não gostei muito do resultado final.

A proposta é bem interessante e acho que até poderia ter me surpreendido, mas achei que faltou algo. As cenas não pareciam ter continuidade e a narrativa ficou meio sem sucessividade. A união das cenas, de um capítulo em outro, era feita pela entrevista que Violet dava num programa de televisão, misturando o tempo presente com flashbacks. A maior parte do livro, portanto, é no passado, com Violet lembrando sua vinda para a terra e tudo o que aconteceu depois disso.

A personagem principal, Violet, é bem construída e com características marcantes que atraem o leitor. Algumas passagens de Violet no mundo dos humanos são hilárias, como a cena com a garçonete da lanchonete, ou a da Coca-Cola. Em outros momentos, Violet nos faz pensar em coisas que nunca havíamos parado para ver sobre aquela perspectiva, como a cena do relógio. De forma que o livro tem partes excelentes, apesar de que não me prendeu por completo.

Tendo a própria Carolina Munhóz participado de um Reality Show, ela traz essa vivência com propriedade e podemos identificar bem tudo o que ocorre nos bastidores dessa vida que Violet tanto sonhava para si (ou achava que desejava). Violet não é daquelas protagonistas que consegue tudo fácil. Sua trajetória no livro é suada, cheia de altos e baixos, sucessos e fracassos, acertos e erros. Isso facilita a identificação com a personagem, mesmo ela sendo um ser de fantasia. Já o personagem masculino da trama, o Michael, que deveria dar aquele toque de romance na história, não se destacou e não convenceu. Talvez a personagem da Violet fosse tão forte que dominava o ambiente e apagava os outros. Ele ficou muito sumido e totalmente secundário. Senti falta de mais dessa parte da história que poderia ter sido mais explorada. Ou o objetivo da autora foi exatamente esse, não sei.

Mas o mérito do livro está mesmo na moral da história, aquilo que a autora quis passar nas entrelinhas, a interpretação que cada leitor vai ter ao terminar a última página. Quando fechei o livro, demorei um pouco pensando “o que eu poderia tirar de positivo dessa leitura?” Ou seja, em que o livro iria me acrescentar (se é que ia acrescentar)? Mas claro que, como todo e qualquer livro, há algo de produtivo para apreender. E em Feérica, o caminho de autoconhecimento de Violet nos passa uma boa lição.

 
 
(Facebook      Twitter      Instagram)
 

___________________________________________________________

Posts relacionados:

Resenha – SIMPLESMENTE ANA (Marina Carvalho)

Resenha – PERDIDA (Carina Rissi)

Resenha – AZAR O SEU! (Carol Sabar)

Resenha – FAZENDO MEU FILME 1, A ESTREIA DE FANI (Paula Pimenta)

Resenha – CLARO QUE TE AMO! (Tammy Luciano)

Outras resenhas

 
 
 
Anúncios
Categorias: Lendo | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Resenha – CRESCENDO, SÉRIE HUSH HUSH 2 (Becca Fitzpatrick)

Resenha Hush Hush 2 Crescendo

Série Hush Hush 2

Título: Crescendo

Autor: Becca Fitzpatrick

Editora: Editora Intrínseca

Lançamento: 2011

Categoria: Literatura Estrangeira/Sobrenatural/Young Adult

ISBN: 978-85-58057-09-0

Páginas: 288

Essa resenha contém SPOILERS do volume anterior, (Para ler a resenha, clique:Sussurro)

Sinopse: Depois do rumo que sua vida tomou após conhecer Patch, Nora se encontra cada vez mais mergulhada num mundo de Anjos Caídos e Nephilins. Após quase ser assassinada e ter sua vida salva, ela ganha um anjo da guarda, seu próprio namorado Patch, que estava longe de ser do tipo angelical. Entretanto, Marcie Miller, sua inimiga desde os tempos de infância, se aproxima de Patch, que, por sua vez, fica cada vez mais distante de Nora. Um velho amigo de infância de Nora, Scott Parnell, volta para a cidade e se aproxima dela, deixando-a curiosa em saber que segredo sombrio ele guarda e que o fez deixar a cidade onde morava com a mãe. Em meio ao ciúme de Patch e Marcie, da atração por Scott e da descoberta de informações sobre o assassinato de seu pai, Nora começa a ter visões do pai, escutar sua voz em sua mente e ser atraída para situações perigosas. Ela tem a necessidade de saber o que realmente aconteceu com seu pai e se, de alguma forma, Patch estava relacionado à sua morte. “Algumas verdades ficam melhor mortas e enterradas – do contrário, podem destruir tudo em que você acredita”.

“Estou tentando seguir as regras. Eu não devo me apaixonar por você.” (Patch)

Primeiro, retiro o que disse sobre Nora no livro anterior. Em Crescendo, ela conseguiu, realmente, irritar. Com sinceridade, a princípio, não entendi o que autora quis com este livro. Só quando parei para analisar o próprio nome do livro, passei a ter uma outra visão e a ter esperança de que aquilo que me desagradou nesse seja melhorado nos próximos. Segundo, Crescendo veio a confirmar a minha decisão de só ler séries quando elas já estão completamente publicadas, porque da forma como o livro termina, se eu ainda tivesse que esperar meses para saber a continuação, ia ser uma tortura.

Mas vamos começar pelo nome, Crescendo. O sentido do título eu só compreendi durante a leitura, ou seja, que Nora estaria crescendo, no sentido de amadurecendo com os acontecimentos de sua vida, sendo esse livro o divisor de águas, narrando o marco no seu desenvolvimento. Será isso mesmo? Só quando ler os demais para ter certeza. Portanto, talvez ela retorne diferente nas sequências, não sei. Só que, para dar esse sentido, a autora mudou a construção da personagem que havia traçado em Sussurro, trazendo uma Nora perdida, frágil, confusa, insegura, imatura. Não era a mesma! As únicas características que permaneceram foram a sua curiosidade e seu instinto de sobrevivência. Foi essa a minha impressão, que se mudou a personalidade dos personagens de um livro para outro. E não apenas Nora, como também Patch. Logo no início, quando ela tomou uma decisão e se manteve firme nela, até impressionou, pois se colocou em primeiro lugar frente a um relacionamento cheio de segredos e desconfianças. Nora fez o que muitas mulheres adultas, que se dizem maduras, não conseguem fazer. Mas depois tudo pareceu desandar. E ela se mostrou realmente a menina de 16 anos que era. Até aí nenhum problema, ela é uma adolescente e deve agir como tal. Só que tive dificuldade de vê-la assim depois da construção da personagem de Sussurro, e me peguei não gostando tanto dela.

(Início Spoiler) Uma coisa que eu gostaria muito de entender é porque muitos autores resolvem acabar o relacionamento principal das séries na sequência dos livros. Isso era para motivar a leitura? Porque não consigo. Sempre me desanimo. Prefiro quando o casal enfrenta qualquer tipo de dificuldade, mas permanece junto. E, neste caso, pareceu que a autora deu uma forçada de barra, pois era algo simples de resolver que se transformou em algo maior por atitudes incompreensíveis de ambos os lados. Meio que para justificar tais atitudes, aparecem os Arcanjos, que vêm para manter aquele ar de amor proibido e impossível, que normalmente é a fórmula de sucesso dos romances sobrenaturais. (Fim Spoiler) Ao lado disso, se aprofunda a história de Marcie, que havia sido apenas pincelada no livro anterior. Passamos a entender melhor o relacionamento entre ela e Nora e a origem de seus desentendimentos.

O controle dos Arcanjos sobre Patch faz com que ele seja totalmente apagado nesse livro. Vira praticamente um personagem secundário. E o pior é que ele também tem sua personalidade mudada do que foi traçado no primeiro livro. Ele fica mais sombrio, e sem graça, como um anjo da guarda do que era como um anjo caído. Ele perde seu senso de humor, suas palavras afiadas e seu charme. Fica chato, sério, sem a leveza que tinha em Sussurro. A única personagem que me ganhou neste livro foi Vee. Seu jeito divertido se manteve e sua amizade por Nora se sobressaiu. Ela é cativante e consegue nos arrancar alguns sorrisos. Espero que não mude nos livros seguintes também. Scott entra para preencher o vazio deixado por Patch. Ele tem o estilo bad boy, atlético e bonito. Retorna a cidade após a separação de seus pais e logo Nora se mostra curiosa pelos segredos que ele parece esconder e se aproxima. Exatamente a mesma coisa que ocorreu quando ela conheceu Patch.

O que faz manter a leitura até o fim é a rede de mistérios em torno do assassinato do pai de Nora. Essa é a trama do livro. Mesmo não considerando o livro melhor que o anterior, pois achei que a autora se perdeu nos seus personagens principais, não tem como não dar mérito para o desenrolar dos mistérios sobre Nora, Marcie e os pais de ambas, além do toque de surpresa que a autora guardou para o final e que pega todos de surpresa. As peças se encaixam e algumas coisas passam a fazer sentido. Becca Fitzpatrick ainda deixou a história bem alinhavada para dar continuidade a série, com a certeza de que vem mais ação pela frente. Em Crescendo, sobressaiu o suspense sobre o romance, mas se manteve a narrativa fluida, simples e bem elaborada. E fica a esperança de que Patch e Nora recuperem seus carismas nos livros seguintes. Lembrando, este é um livro para entretenimento voltado ao público adulto jovem.

 
(Nos acompanhem também noFacebook      Twitter      Instagram)
 
Para ler outras resenhas.
Categorias: Lendo | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: