Dica de onde ficar em Boston – apartamento alugado no Fort Hill Inn

Quem vai ou já foi a Boston sabe quão astronômico é o valor de uma diária num hotel da cidade. Já achava hospedagem em Nova York absurda, mas não tinha noção do que nos esperava em Boston. Quase infartamos quando fomos pesquisar um hotel, e só não desistimos de Boston porque as passagens já estavam compradas. Por isso, fomos buscar alternativas… de repente hotéis mais afastados da área turística, ou em alguma cidade vizinha… Até que uma amiga me indicou o Fort Hill Inn, onde havia se hospedado durante sua viagem a Boston, e resolvemos pagar pra ver. Não nos arrependemos.

O Fort Hill Inn possui 2 apartamentos para aluguel. Nós ficamos no Full Apt 1 e compartilhamos aqui esta dica de ouro para quem quer um lugar confortável, seguro, aconchegante e, claro, mais em conta para os seus dias em Boston.

Entramos em contato por email com o Terry, o proprietário do Fort Hill Inn, que sempre foi muito solícito e simpático, tirando todas as nossas dúvidas e passando segurança na seriedade do seu trabalho.

Fort Hill Inn, Boston

Localização:

O apartamento fica num pequeno prédio localizado no endereço 3 Centre Place, no bairro de Fort Hill/Highland Park, bem atrás da Roxbury Community College. É uma área residencial e não fica exatamente perto das atrações turísticas de Boston. Entretanto, a estação Roxbury Crossing, da linha laranja do metrô, fica a alguns quarteirões do apartamento, sendo facilmente acessível a pé. Assim, em poucos minutos estávamos no centro de Boston, descendo na estação Downtown Crossing, bem ao lado da Boston Common, ou fazendo as conexões em outras estações para pegarmos as demais linhas do metrô que levavam às várias atrações da cidade. Tudo muito tranquilo e fácil.

Confesso que, quando voltamos para o apartamento já de noite e descemos do metrô para caminhar até o Fort Hill Inn, me senti um pouco insegura na rua, já que havia pouco movimento, principalmente quando saíamos da grande Columbus Avenue e passávamos ao lado da Roxbury Community College por uma ruazinha mais deserta. Não sei se por estarmos com as crianças, ou por ser um medo já enraizado por tudo que vivemos no Brasil, mas depois do primeiro dia procurei não voltar mais muito tarde da noite. Na verdade, não passamos por qualquer situação que justifique tal receio e acredito até ser o fato de que nós, brasileiros, já vivermos apavorados com tudo, mas também não lutei contra este sentimento e não arriscamos.

Fort Hill Inn, Boston

Estacionamento:

A Centre Place é uma pequena rua sem saída e os carros ali estacionados são apenas de moradores. Entretanto, na rua principal, a Centre Street, é permitido estacionar gratuitamente ao longo do meio fio, só precisando estar atento às sinalizações dos locais proibidos, como em pontos de ônibus e em frente a hidrantes, por exemplo. Existe também um esquema de limpeza da rua, que é sazonal, e ocorre às terças-feiras entre 8 e meio dia. Fora isso, é só achar um cantinho e deixar o carro. Nós quase não usamos o carro em Boston, e nos deslocávamos principalmente de metrô.

Fort Hill Inn, Boston

Reserva:

Todo o procedimento de reserva foi feito por email, sendo preenchida uma ficha com nossos dados pessoais e a data do check-in e do check-out, que escaneamos e enviamos de volta por email.

Pagamento:

Para confirmar a reserva, é necessário fazer o pagamento de metade do valor total (que vai variar de acordo com o número de diárias e o período da viagem, portanto é preciso entrar em contato com o proprietário para fazer uma cotação). Este pagamento antecipado foi realizado via paypal e confirmado, via email, pelo proprietário pouco tempo depois. A segunda parte é paga por ocasião do check-in.

Check-in:

O check-in pode ser feito a qualquer hora após às 15h do dia marcado. Essa é uma informação importante porque, quando chegamos, fiquei preocupada com o horário, já que estávamos vindo da estrada após um dia inteiro de compras no outlet. Quando entramos no apartamento, já passava da meia noite. Não tivemos qualquer problema, já que, para ter acesso ao apartamento, precisamos apenas de uma senha passada pelo proprietário. Ou seja, não é preciso incomodar ninguém para entrar, seja a hora que for. Isso dá liberdade e autonomia para os hóspedes que podem entrar e sair a qualquer momento. Super prático e cômodo.

Check-out:

Nosso voo era de manhã bem cedo e saímos do apartamento ainda de madrugada. Da mesma forma que o check-in, o check-out é bem tranquilo e autônomo. Saímos, colocamos as malas no carro e trancamos a porta do apartamento conforme a orientação enviada no email (que não vou entrar em detalhes por medidas de segurança. Por ocasião da confirmação da reserva, um email é enviado com todas as orientações necessárias). Nós ficamos preocupados porque não sabíamos como efetuar o pagamento da segunda parcela, já que em nenhum momento em que estivemos no Fort Hill Inn encontramos qualquer pessoa relacionada ao apartamento. Era como se fôssemos moradores dali, o que foi bem legal, por sinal. Como ficamos na dúvida se deixávamos o dinheiro no apartamento ou se fazíamos o depósito, acabamos optando pela segunda opção, e deu tudo certo.

O apartamento:

O Full Apt 1 fica no primeiro andar do prédio de 3 andares. O apartamento é super aconchegante, bem decorado, tudo muito limpinho e de bom gosto. Dá para se sentir em casa.

Assim que se entra, há uma sala com sofá e lareira. O sofá vira cama e acomoda duas pessoas. Como chegamos bem tarde, os meninos já estavam dormindo e nem consegui tirar uma foto do ambiente arrumadinho, já que depois ficou cheio de sacolas e malas por todos os lados. Mas a foto abaixo, retirada do site oficial do Fort Hill Inn, dá para ter uma boa noção já que reflete exatamente o que encontramos no apartamento.

Fort Hill Inn, Boston

Foto retirada do site Fort Hill Inn

Ao lado da sala de estar fica a cozinha, toda equipada com eletrodomésticos, utensílios diversos, louça, geladeira, fogão, micro-ondas, lava-louça. Nós não usamos praticamente nada, já que passávamos o dia todo fora, mas é uma boa opção para quem pretende ficar uma temporada maior em Boston e quer economizar com a alimentação.

Fort Hill Inn, Boston Fort Hill Inn, Boston

O banheiro é pequeno, mas tem tudo de que se necessita. Todos os detalhes foram cuidadosamente pensados: itens de higiene pessoal, várias toalhas, secador de cabelos.

Fort Hill Inn, Boston

Uma escada giratória de ferro leva a um quarto no andar inferior. A cama de casal garante uma noite de sono bem confortável. Quem está com crianças, deve ficar atento à escada.

Fort Hill Inn, Boston Fort Hill Inn, Boston

O apartamento tem sinal de wi-fi disponível (gratuito).

Além de uma diária mais em conta, o que valeu mesmo foi a experiência maravilhosa de poder viver alguns dias como morador de Boston, num típico apartamento americano. O capricho em receber seus hóspedes com conforto e cordialidade, a liberdade e autonomia durante a hospedagem, um ambiente bem decorado e limpo, entre outras facilidades, fazem do Fort Hill Inn uma excelente dica de onde ficar em Boston.

(Facebook   Twitter   Instagram)
 
 
 

______________________________________________

Posts relacionados:

– Boston – Freedom Trail

– Boston Children’s Museum – diversão garantida para a criançada em Boston

– CityPASS Boston – quatro opções dentro cinco das principais atrações de Boston

– Travel Mobile – Chip de celular para viagens pelos EUA

Categorias: Boston, EUA, Viajando | Tags: , , , , , , | 1 Comentário

Boston – Freedom Trail

Boston respira história. E a melhor forma que conhecer um pouquinho do processo de independência dos EUA é percorrendo a Freedom Trail.

Freedom Trail, Boston

Não é à toa que vemos vários grupos escolares tendo suas aulas ao ar livre em tours pela Freedom Trail e vendo, ao vivo e a cores, pontos históricos que foram tão significativos para os americanos e para o mundo. Tem forma melhor de aprender?

Para aqueles que querem aprofundar melhor a parte histórica é possível fazer um dos tours que saem do Boston Common Visitor Information, localizado no principal parque da cidade, o Boston Common, próximo a Tremont Street. Os guias se vestem com roupas de época e o tour pode ser uma experiência muito interessante e educativa para quem tem domínio do idioma.

Freedom Trail, Boston

O Centro de Visitante também é o local ideal para iniciar o passeio pela Freedom Trail para aqueles que vão percorrê-la por conta própria. Uma dica é comprar um dos mapas disponíveis no Centro. São vários tipos, de acordo com o detalhamento dos fatos históricos que desejar para aprofundar-se. Nós compramos o mais simples (3U$), que, além do mapa com todos os pontos históricos ao longo da Freedom Trail, traz um resumo da importância de cada um deles. É possível também pagar um download de audio tour, mas não chegamos a testar.

Freedom Trail, Boston

A Freedom Trail possui cerca de 4 km, passando por 16 marcos históricos da cidade. A trilha é marcada por uma faixa vermelha no chão (determinada por tinta ou por tijolos vermelhos) e é possível percorrê-la na ordem que desejar. Nós resolvemos caminhar no nosso ritmo, seguindo a trilha do chão e o mapa comprado no Centro de Visitantes, mas sem os guias turísticos dos tours pagos (e o marido ia nos explicando os acontecimentos históricos em cada local). A ideia era fazer o que fosse possível, levando em consideração que estávamos com as crianças e não acreditávamos que eles fossem conseguir andar tudo. Mas eles nos surpreenderam e conseguiram! Fizemos a Freedom Trail todinha, e ainda subimos os 294 degraus do Bunker Hill Monument. Levamos a manhã inteira em todo percurso, mas não chegamos a conhecer o interior de todos os marcos históricos, onde funcionam alguns museus, porque acabaria ficando muito maçante para os meninos.

Freedom Trail, Boston

Vamos falar dos 16 pontos da Freedom Trail de forma resumida, tendo como referência o mapa institucional comprado no Centro de Visitantes e a nossa experiência pessoal.

1 – Boston Common

Freedom Trail, Boston

O melhor ponto de partida é realmente o parque público Boston Common, onde fica o Visitor Information. Ele é considerado o parque mais antigo dos EUA, e onde, no passado, já ocorreram duelos, enforcamentos, celebrações públicas e religiosas. Atualmente, é palco de festivais e concertos, oferece áreas de lazer no verão e abriga a pista de patinação no inverno. É uma área ótima para quem está com crianças, com bastante espaço para correrem livremente.

Freedom Trail, Boston

O Visitor Information Center funciona de segunda a sábado, das 8:30 às 17h; e domingo, das 9h às 17h.

Freedom Trail, Boston

2 – Massachusetts State House

Bem ao lado da Boston Common avistamos o grandioso domo dourado da Massachusetts State House, de 1788, considerado o prédio mais antigo do bairro Beacon Hill e atual sede do governo do estado. O domo original era de madeira, sendo posteriormente coberto por cobre e, por fim, em 1874, por folhas de ouro 23-quilates. Existem tours gratuitos pelo interior da State House, que ocorrem de segunda a sexta, das 10h às 15:30. Não fizemos.

Freedom Trail, Boston

3 – Park Street Church

Impossível não ver a torre de 66 metros de altura da Park Street Church (de 1809). Durante a Guerra de 1812, foi estocada pólvora em sua cripta. Estão disponíveis tours guiados pelo interior da igreja, mas apenas da metade de junho até fim de agosto (terça a sábado, das 8:30 às 15:30), de forma que não havia tour quando visitamos.

Freedom Trail, Boston

4 – Granary Burying Ground

É estranho visitar um cemitério durante um passeio turístico, mas não dá para deixar de passar no local onde estão os túmulos de importantes nomes da história como John Hancock, Samuel Adams, Paul Revere.

Freedom Trail, Boston

A entrada é gratuita, mas havia uma pessoa na entrada entregando umas pastas. Nós pegamos sem saber direito do que se tratava e depois vimos ser um mapa com a localização dos túmulos. Em troca, deixávamos uma gorjeta na pasta. Não negamos que ajudou, mas é opcional pegar a pasta, já que não é nada oficial e sim alguém tentando ganhar um dinheirinho. Porém, se pegar a pasta, é bom não deixar de dar a gorjeta, como vimos pessoas fazendo.

O Granary Burying Ground fica aberto diariamente das 9h às 17h.

Freedom Trail, Boston

5 – King’s Chapel

A primeira igreja anglicana foi construída em 1688 sobre as ordens do rei James II. É possível visitar o interior da igreja e, para isso, solicitam o pagamento de um valor sugerido de 2U$. Vela a pena, pois a sua estrutura interna é bem diferente.

Freedom Trail, Boston

Antes de serem enforcados na Boston Common, os escravos, que ocupavam o lado esquerdo dos fundos da igreja, e os prisioneiros condenados, que sentavam ao lado direito, ouviam longos sermões na King’s Chapel.

Freedom Trail, Boston

Ao lado da igreja, está o primeiro cemitério de Boston, onde se encontra o túmulo do primeiro governador do Estado de Massachusetts.

A King’s Chapel está aberta para visitação de segunda a sábado, das 10h às 16h (verão); e das 10h às 15h (demais estações). O cemitério abre diariamente das 9h às 17h.

Freedom Trail, Boston

6 – Old City Hall

É na calçada em frente ao Old City Hall que encontramos um mosaico chamado City Carpet, que marca o local da Boston Latin School, a primeira escola pública dos EUA (de 1635). Benjamin Franklin, John Hancock, Samuel Adams foram algumas das personalidades que fizeram parte do corpo discente da escola. A Boston Latin School existe até hoje, mas em outro local, e os testes de admissão ainda são muito concorridos.

Freedom Trail, Boston

Em frente ao suntuoso prédio de granito da Old City Hall, encontra-se uma estátua de Benjamin Franklin, de 1856.

Freedom Trail, Boston

7 – Old Corner Bookstore

Onde agora funciona um restaurante mexicano, Chipotle, esta casa de esquina já foi um importante centro literário, onde funcionou a editora Ticknor and Fields, a qual publicou obras clássicas de escritores como Hawthorne. Não tem muito o que ver atualmente, parece só mais uma construção das ruas de Boston, cidade que mistura o passado e o presente a cada passo.

Freedom Trail, Boston

8 – Old South Meeting House

Segunda mais antiga igreja de Boston (1729), a Old South Meeting House foi local de várias reuniões envolvendo eventos cruciais que acabaram levando à Revolução Americana. Uma dessas reuniões ocorreu em 16 de dezembro de 1773, quando mais de 5000 pessoas protestaram contra a taxação do chá. Não chegamos a conhecer por dentro, mas está aberta à visitação (cobra-se taxa) diariamente das 9:30 às 17h (de abril a outubro); e das 10h às 16h (entre novembro e março).

Freedom Trail, Boston

9 – Old State House Museum

No prédio público mais antigo de Boston funciona atualmente um museu, mas ali já foi o centro da vida política e comercial de Boston quando abrigava o precursor da Bolsa de Valores e a Assembleia do estado de Massachusetts. O local também foi palco de eventos como o Massacre de Boston, em 1770, e a leitura da Declaração de Independência, em 1776.

Freedom Trail, Boston

A entrada do museu custa 10U$, e menores de 18 anos não pagam. O Museu funciona diariamente, das 9h às 17h.

Freedom Trail, Boston

10 – Boston Massacre

No piso bem em frente ao Old State House há um anel de pedras em homenagem ao Massacre de Boston, ocorrido em 1770, quando cinco homens foram mortos em conflito com tropas britânicas. Entre eles estava Crispus Attucks, o primeiro negro americano a morrer por causa patriótica. O local está sempre cheio e é até difícil conseguir tirar uma foto do anel completo sem ter um pé no meio.

Freedom Trail, Boston

…nem que sejam os nossos próprios pés…

11 – Faneuil Hall

O Faneuil Hall servia como ponto de encontro para discussões e foi exatamente onde o povo de Boston começou sua oposição aos britânicos. Foi apelidado de Cradle of Liberty (Berço da Liberdade), sendo palco de reuniões contra a Lei do Açúcar e do Selo. Depois da Independência, ainda serviu para debates contra a escravidão e pelos direitos das mulheres.

Freedom Trail, Boston

É possível visitar o Faneuil Hall, gratuitamente, todos os dias das 9h às 17h.

Freedom Trail, Boston Freedom Trail, Boston

As portas centrais levam à escada para o andar superior, enquanto as portas laterais são para o andar inferior, onde há lojinhas de artesanato, um centro de informações turísticas e banheiros públicos.

Freedom Trail, Boston

O prédio em frente ao Faneuil Hall é o Quincy Market, o mercado público de Boston. É enorme e tem uma variedade monstruosa de opções de alimentação, podendo ser um ótimo ponto de parada para uma refeição. Pena que possui poucos lugares para sentar.

Freedom Trail, Boston Freedom Trail, Boston

Nesta área há também alguns restaurantes. Para quem está com crianças, uma dica é aproveitar um pouco para deixá-los fazer um lanche, usar o banheiro e sentar para dar uma descansada, mesmo que não almocem por aqui, como foi o nosso caso, porque depois do Faneuil Hall o próximo marco da Freedom Trail é apenas no bairro North End (e dá uma boa pernada até lá).

Freedom Trail, Boston

O lado bom é que o bairro de imigrantes e descendentes italianos, o North End, é uma delícia de caminhar, e repleto de restaurantes de cozinha italiana que contaminam o ar com um cheirinho maravilhoso. Se tiver tempo, dá para abandonar um pouco a Freedom Trail e passear melhor pelo bairro, ou voltar outro dia com mais calma (e mais descansado).

Freedom Trail, Boston

12 – Paul Revere House

A casa de Paul Revere é a construção privada mais antiga de Boston (datada de 1680). Foi desta casa de madeira que Paul Revere se preparou para a cavalgada da meia noite.

Freedom Trail, Boston

É possível conhecer o interior da casa, mas não entramos. O custo é de 3.5$ por adulto e 1U$ por crianças de 5 a 17 anos. Funciona diariamente das 9:30 às 16:15h (até 17:15 de abril a outubro).

Freedom Trail, Boston

Todo lugar é uma chance de sentar…

13 – Old North Church

A igreja mais antiga de Boston tem uma grande importância na Revolução Americana, uma vez que foi no alto de seu campanário que, na noite de 18 de abril de 1775,  Robert Newman pendurou as duas lanternas que serviriam de sinal para Paul Revere iniciar sua cavalgada que alertaria os patriotas sobre a chegada dos exércitos britânicos.

Freedom Trail, Boston

A igreja ainda abriga os primeiros sinos trazidos para a colônia, e o relógio e lustres de bronze originais do século 18.

Freedom Trail, Boston

14 – Copp’s Hill Burying Ground

Os britânicos aproveitaram a localização estratégica do cemitério Copp’s Hill Burying Ground para colocar seus canhões direcionados para Charlestown durante a batalha de Bunker Hill.

Freedom Trail, Boston

A esta altura, meus meninos já estavam super cansados e só entramos rapidamente.

O cemitério fica aberto diariamente das 9h às 17h.

Outra longa caminhada ocorre nesta parte da Freedom Trail, já que precisamos atravessar uma ponte até a cidade de Charlestown, do outro lado do Charles River. Chegamos a pensar em desistir, mas acabamos seguindo com o objetivo de conhecer ao menos o Bunker Hill Monument.

Freedom Trail, Boston

15 – USS Constitution Old Ironsides

O USS Constitution, também conhecido como Old Ironsides (paredes de ferro) graças a suas paredes impenetráveis resistentes às balas dos canhões, estava passando por restauração quando visitamos. Há um museu no local. Essa fragata americana é o navio de guerra mais antigo ainda em serviço.

Freedom Trail, Boston

O tour guiado de visitação ao USS Constitution é gratuito e ocorre de terça à sexta, das 14:30 às 16h; e sábado e domingo, das 10h às 16h. É necessário apresentar um documento com foto. Já a entrada do museu tem um preço sugerido de doação (5 a 10U$ por adulto e 3 a 5U$ por criança). O museu funciona diariamente, das 10 às 17 (de novembro a março) e de 9h às 18h (de abril a outubro).

Freedom Trail, Boston

16 – Bunker Hill Monument

No local onde ocorreu a batalha mais sangrenta da Revolução Americana, a batalha de Bunker Hill, encontramos um obelisco de granito com 67 metros de altura.

Freedom Trail, Boston

Para subir ao topo do monumento e ter uma vista em 360º não precisa de muito mais além de pique e força nas pernas. São 294 degraus. Não, nada de elevadores. E cansa! Mas vale a pena. Os meninos, que estavam reclamando de cansaço pouco antes, subiram na maior animação e chegaram lá no topo muito antes de mim.

Freedom Trail, Boston

Tem uns banquinhos no observatório e dá para sentar e recuperar o fôlego antes de enfrentar os 294 degraus de volta. Depois de curtir a vista, é claro. Mas não dá para demorar muito porque o local é bem apertado e precisa liberar o espaço para os outros que vêm chegando esbaforidos.

O acesso é gratuito. Funciona todos os dias das 9h às 16:30h

Freedom Trail, Boston

Terminamos a Freedom Trail realmente exaustos, mas compensa cada dor nos pés com todo o conhecimento adquirido. Se for entrar em todos os marcos e museus, é fácil passar um dia inteiro percorrendo a Freedom Trail. E, sim, as crianças também podem curtir e aprender bastante. Descobri que não devemos menosprezar o conhecimento dos nossos pequenos quando fui surpreendida com meus filhos me contando a história da cavalgada de Paul Revere. Do nada, quando estávamos na Old North Church e o pai explicava o sinal das lanternas no campanário da igreja, os meninos começaram a contar os fatos todos. Quando perguntamos como eles sabiam daquilo, disseram que haviam assistido em um desenho animado da televisão. Que tal? E na Freedom Trail eles tiveram oportunidade de solidificar os conhecimentos já adquiridos e aprender coisas novas que tornarão muito mais fácil o processo de aprendizagem futuro em sala de aula. 😉

Freedom Trail, Boston

(Facebook   Twitter   Instagram)
 
 
 

______________________________________________

Posts relacionados:

– Boston Children’s Museum – diversão garantida para a criançada em Boston

– CityPASS Boston – quatro opções dentro cinco das principais atrações de Boston

– Ottawa – Bate e volta de Montreal

Montreal com crianças – dicas de onde ir

– Québec – o que conhecer

– Travel Mobile – Chip de celular para viagens pelos EUA

Categorias: Boston, EUA, Viajando | Tags: , , , , , , , , | Deixe um comentário

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: