Águas Calientes

Peru com crianças – Machu Picchu, parte 3: a Cidade Mágica dos Incas

No post anterior falamos da logística de chegada a Machu Picchu e agora vamos falar especificamente sobre a Cidade Mágica dos Incas.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Machu Picchu

No instante em que descemos do ônibus na entrada de Machu Picchu, vários guias nos abordaram oferecendo o tour. Nós deixamos de fechar o tour com a agência que fizemos os passeios pelo Vale Sagrado e por Cusco, pois nos cobraram 20 Soles por pessoa e achamos caro. Pensamos que na hora seria mais barato. A verdade é que vale a pena deixar logo acertado o guia. Primeiro, porque conhecer Machu Picchu sozinho não é a mesma coisa que ter uma pessoa contando a história daquele lugar. A visita fica muito mais enriquecedora e atraente ouvindo as belas histórias contadas pelos guias profissionais. Segundo, porque você não perde tempo na chegada já que o preço é o mesmo que se tivesse fechado com antecedência e, quando chegasse, já teria um guia te esperando para começar o passeio. Para fechar na hora, se quiser um guia particular apenas para seu grupo, ele vai cobrar 100 Soles pelo grupo. Caso contrário, vai ter que esperar o guia formar um grupo de no mínimo 6 pessoas para começar o tour. E isso pode demorar. Foi o que aconteceu conosco. Ficamos um bom tempo esperando. E nesse caso, o valor fica 20 soles por pessoa, igual ao que agência queria cobrar. As crianças não pagam.

Entrada de Machu Picchu, Peru, com crianças

Entrada de Machu Picchu

Nessa área externa há um restaurante, banheiros (onde cobra-se 1 sol para uso), guarda-volumes (custa 5 soles), lanchonete com área para sentar, e lojinhas. Os preços da lanchonete são bem caros, mas é uma opção.

Área para um lanche Machu Picchu, Peru, com crianças

Área para um lanche

Preços da lanchonete Machu Picchu, Peru, com crianças

Preços da lanchonete

Nós levamos água e biscoito pros meninos. Teoricamente, não pode entrar em Machu Picchu com alimentos, apesar de que não revistaram as nossas mochilas e, como não sabíamos se teria onde comprar algo pros meninos comerem, tínhamos lanche para eles na bolsa. Essa era uma dúvida que eu tinha sobre a visita a Machu Picchu com crianças: como seria o ponto de apoio no local. E agora posso dizer que é tranquilo. Antes eu achava que não havia nada, apenas as ruínas. Mas não é isso. Há toda uma estrutura que torna muito viável visitar Machu Picchu com crianças. Apesar de dentro da cidade de Machu Picchu não ter nada, nem banheiro, na área externa tem ponto de apoio suficiente, e o visitante pode entrar e sair no mesmo dia quantas vezes precisar, basta para isso manter consigo o ticket de entrada e seu passaporte (ou documento). Desta forma, nós entramos, fizemos o tour e, quando os meninos precisaram usar o banheiro, saímos. Depois retornamos e continuamos explorando. Simples assim.

Bom, fechado o grupo para o tour com um guia, seguimos para a entrada. Basta apresentar os tickets e os passaportes. As crianças menores de 8 anos não pagam ingresso.

O tour tem duração de 2 horas, rodando por toda a cidade e passando pelos principais pontos, como o Templo do Sol, o Templo das 3 Ventanas, o Templo do Condor…

Entrando em Machu Picchu, Peru, com crianças

Entrando em Machu Picchu

Machu Picchu fica a cerca de 2453 metros de altura. De Novembro a Março ocorre a estação mais chuvosa com nebulosidade; de Abril a Outubro, é um período mais seco. A temperatura é relativamente estável, com temperaturas entre 6 e 24 graus.

A cidade foi descoberta em 1902 por Agustín Lizárraga, durante as explorações em busca de terras agrícolas. No início do século 20, Hiram Bingham se interessou pela trilha inca e chegou até Machu Picchu em 1911. No ano seguinte, Bingham começou uma expedição acompanhado de especialistas em topografia, ciências naturais, escavações, entre outros, realizando investigações arqueológicas no local. Foi Bingham quem nomeou Machu Picchu de “a cidade perdida dos incas“. Machu Picchu, na língua quéchua, significa “velha montanha”.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Especula-se que Machu Picchu fosse um centro religioso, astronômico e uma hacienda do imperador Pachacútec, e não uma cidade propriamente dita, por isso sua população não “desapareceu”, pois nunca houve uma população que tenha realmente habitado o local. A maioria dos ossos encontrados na cidade era de mulheres que viviam no centro e participavam dos rituais religiosos e da vida amorosa do imperador inca.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Machu Picchu tem uma área de 100 mil m2 e é dividida em dois setores, o agrícola e o urbano. No agrícola, podemos ver os terraços onde eram plantados os diversos tipos de batatas, e também maiz, um milho típico dos Andes. É comum vermos llamas andando livremente nos terraços agrícolas. Acredita-se que os incas faziam experimentos agrícolas em Machu Picchu.

Área Agrícola Machu Picchu, Peru, com crianças

Área Agrícola

No setor urbano é onde encontramos os templos, as casas dos sacerdotes e o palácio do imperador inca. Há 172 construções em Machu Picchu. As paredes são feitas de pedras perfeitamente encaixadas sem qualquer tipo de massa entre elas. São, também, construídas inclinadas para fornecer mais estabilidade, mantendo um formato de trapézio e sendo resistentes aos terremotos.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Machu Picchu, Peru, com criançasMachu Picchu, Peru, com crianças

Aproveitando a energia das pedras  Machu Picchu, Peru, com crianças

Aproveitando a energia das pedras

A cidade também é dividida em Zona Alta, dedicada ao Sol e chamada Hunan; e a Zona Baixa, dedicada à Lua e chamada Hurin.

Cidade baixa e cidade alta Machu Picchu, Peru, com crianças

Cidade baixa e cidade alta

Na entrada da área urbana encontramos o portão principal que dava acesso à cidade.

O Templo do Sol é a única construção em formato redondo e suas janelas são alinhadas com o nascer do sol nos solstícios. Ali eram feitos os sacrifícios e oferendas ao deus sol.

Templo do Sol Machu Picchu, Peru, com crianças

Templo do Sol

Parte de baixo do Templo do Sol Machu Picchu, Peru, com crianças

Parte de baixo do Templo do Sol

A Casa del Inca ganha destaque no tour.

 Casa del Inca Machu Picchu, Peru, com crianças

Os meninos sentados onde seria a cama do Imperador na Casa del Inca

Na praça sagrada encontramos o Templo das 3 Ventanas, a Casa do Alto Sacerdote e o Templo Principal. Ainda foi possível observar o alinhamento do sol nas três ventanas (janelas), pois visitamos um dia depois do solstício de inverno. A vista do vale com as montanhas de picos nevados é linda nesse local. 

Templo das 3 Ventanas Machu Picchu, Peru, com crianças

Templo das 3 Ventanas

Vista do Vale Machu Picchu, Peru, com crianças

Vista do Vale

Machu Picchu, Peru, com crianças

Beleza total!

No Observatório Astronômico, fica o grande Intiwatana, uma pedra que era, na verdade, um calendário astronômico que indicava os ciclos agrícolas.

Calendário Intiwatana Machu Picchu, Peru, com crianças

Calendário Intiwatana

Machu Picchu, Peru, com crianças

São comuns pedras nos formatos das montanhas

Na extremidade oposta à entrada da cidade fica a passagem para Waynapicchu. Lembrando que para ter acesso à montanha é preciso um ingresso específico. A entrada é limitada a 400 visitantes por dia. A subida para Waynapicchu é um pouco mais íngreme e com precipícios, então não é recomendada para crianças pequenas.

Entrada para Waynapicchu Machu Picchu, Peru, com crianças

Entrada para Waynapicchu

Machu Picchu, Peru, com crianças

Quem sabe da próxima vez vamos lá no topo de Waynapichu

Seguindo pela parte inferior da cidade, passamos pelas Três Portadas e temos uma boa vista do amplo pátio da cidade. Nesse pátio ocorriam apresentações e festividades cerimoniais, de forma que a acústica no local é impressionante. Se bater palma ali, dá para ouvir o eco reverberando em diversos outros locais.

Machu Picchu, Peru, com crianças Machu Picchu com criançaMachu Picchu com criança

Por fim, passamos pelo Templo do Condor, o local de oração aos mortos e onde ficavam as múmias dos imperadores incas.

Templo do Condor Machu Picchu, Peru, com crianças

Templo do Condor

Após as 2 horas rodando com a guia, nós aproveitamos para fazer um intervalo, usar o banheiro, fazer um lanche, antes de retornamos para o interior da cidade e enfrentarmos as escadas até o Recinto del Guardián, um casinha láááááá em cima que servia de vigilância. A subida é desgastante, mas é de onde se tem as melhores vistas de Machu Picchu e do vale. As fotos mais famosas quando ouvimos falar de Machu Picchu são tiradas daquele local.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Rodamos tudo com a guia

O Recinto del Guardian Machu Picchu, Peru, com crianças

O Recinto del Guardian é a casinha lá no topo

Na subida, há uma pedra onde as pessoas fazem fila para uma tradicional foto de Machu Picchu.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Há outros lugares para conhecer como a Ponte Inca e algumas trilhas pela montanha de Machu Picchu, mas nós não nos aventuramos com as crianças.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Não encontramos muitas crianças visitando Machu Picchu, mas os meus filhos não eram os únicos lá. Vimos até crianças menores do que eles, vimos muitos idosos, vimos cadeirante. Não importa a idade, ou as dificuldades, Machu Picchu encanta a qualquer um.

Cadeirante em Machu Picchu, Peru, com crianças

Cadeirante em Machu Picchu

Para quem vai com criança, mais uma vez, porque não custa recomendar sempre, é muito importante estar atento aos pequenos, mantendo-os sempre de mãos dadas. Quanto menor a criança, maior a atenção. As escadas são de pedras, o piso é desnivelado, não há corrimão e, em vários pontos, há precipícios sem qualquer proteção. Não é brincadeira! Vale a pena levar criança, sem dúvida. Os pequenos podem sim se divertir e aprender muito, realmente curtir. MAS não é lugar para brincar, correr, pular. Então, atenção redobrada sempre! E pode-se envolvê-los de outras formas, deixá-los tirar fotografias, dar um mapa para acompanharem, fazer pausas regulares para que se distraiam em lugares mais seguros… enfim, tornar essa viagem atraente e interessante para os pequenos também. Afinal, não existe destino específico para uma idade. Uma boa viagem quem fazemos somos nós!!! 

– Como foi viajar pelo Peru com crianças

Machu Picchu com crianças

Machu Picchu com criança

Na saída de Machu Picchu há uma mesa com carimbos para deixar a marca da sua visita no seu passaporte.

Machu Picchu com crianças

Carimbo no passaporte, Machu Picchu com crianças

Por volta das 13h, nós pegamos o ônibus de volta para Aguas Calientes. Nesse horário já havia uma fila considerável para retornar, por isso é importante controlar bem o tempo para não correr risco de perder o trem de retorno para Cusco.

Machu Picchu, Peru, com crianças

Fila para pegar o ônibus

Aguas Calientes durante o dia já era bem mais movimentada, entretanto chama a atenção como tudo é muito caro quando comparado a outras cidades. Aproveitamos para almoçar, pegamos nossa mochila que havíamos deixado no hotel (é comum os hotéis guardarem a bagagem dos hóspedes sem cobrar qualquer taxa extra) e nos dirigimos ao terminal de embarque da Perurail, que fica numa rua acima de onde o trem para no desembarque (não é no mesmo lugar).

Aguas Calientes Machu Picchu, Peru, com crianças

Aguas Calientes

Embarque da Perurail em Aguas Calientes Machu Picchu, Peru, com crianças

Embarque da Perurail em Aguas Calientes

Nosso trem saía às 15:00 e tínhamos que estar na estação uns 30 minutos antes. Compramos a volta direto para Poroy, perto de Cusco, o que aconselho. Como viajamos de dia e o tempo de deslocamento era bem maior do que foi a ida (de Ollantaytambo), fomos em uma categoria melhor que o Expedition, o Vistadome, que tem mesa entre as poltronas e grandes janelas para aproveitar a paisagem. O Vistadome oferece uma refeição e bebida.

Vagão Vistadome Machu Picchu, Peru, com crianças

Vagão Vistadome

Lanche no Trem Machu Picchu, Peru, com crianças

Lanche no Trem

Chegamos a Cusco de noite e pegamos um táxi na frente da estação para a Plaza de Armas. Estávamos exaustos, mas como uma sensação de que as energias estavam recarregadas. Foi o fim da nossa viagem, no dia seguinte pegaríamos o voo para Lima. Sem dúvida, amamos o Peru e recomendamos essa viagem para todos, com ou sem criança.

– Nosso roteiro completo.

Se despedindo de Cusco

Se despedindo de Cusco

Aeroporto de Cusco

Aeroporto de Cusco

No aeroporto prontos para embarcar para Lima. Tchau Cusco!

No aeroporto prontos para embarcar para Lima. Tchau Cusco!

 

 
(Facebook   Twitter   Instagram)

_______________________________________

Posts relacionados:

 Peru com crianças – Machu Picchu, parte 1: de Ollanta para Aguas Calientes

Peru com criança – Machu Picchu, parte 2: como chegar

Peru com criança – Cusco (conhecendo a cidade)

Peru com crianças – Cusco (Boleto Turístico)

Peru com crianças – Cusco (City Tour)

Peru com crianças – Tour pelo Vale Sagrado dos Incas

Anúncios
Categorias: Águas Calientes, Machu Picchu, Peru, Viajando | Tags: , , , , , | 6 Comentários

Peru com crianças – Machu Picchu, parte 1: de Ollanta para Aguas Calientes

Seguimos para Aguas Calientes ao final do tour pelo Vale Sagrado, pegando o trem na estação de Ollantaytambo. Compramos os tickets diretamente pelo site da Perurail e escolhemos um horário mais para o início da noite para não atrapalhar a visita às ruínas de Ollantaytambo. O tour do Vale Sagrado chega a Ollanta por volta das 15:00, de forma que, se for pegar o trem, é melhor deixar para mais tarde e evitar correrias. Nosso trem saía às 19:00, então tivemos tempo de dar uma volta pela pequena cidade e lanchar com as crianças antes de nos encaminharmos para a estação de trem. Na entrada, basta mostrar o voucher impresso em casa e os passaportes para ter acesso ao terminal de embarque. É necessário chegar, no mínimo, meia hora antes do horário de partida do trem.

De Ollantaytambo para Aguas Calientes, Peru com crianças De Ollantaytambo para Aguas Calientes, Peru com crianças

Para essa viagem de 1h e meia até Aguas Calientes fomos no trem mais simples, o Expedition, mas que é muito confortável, com poltronas largas e grandes janelas laterais. Como estava de noite, não deu para curtir muito a vista. Por isso, recomendo, se possível, marcar o retorno para o dia e ainda aproveitar a paisagem. No Expedition servem um lanche bem simples, apenas um snack e uma bebida.

Perurail Expedition, De Ollantaytambo para Aguas Calientes, Peru com crianças Perurail Expedition, De Ollantaytambo para Aguas Calientes, Peru com crianças

Aguas Calientes fica à margem do rio Urubamba e é cortada pelo rio Aguas Calientes. É o ponto final do trem e o ponto de apoio para todos que querem subir a Machu Picchu. Logo, a cidade sobrevive disso.

A rua principal, ao longo do trilho do trem, é repleta de lojas de artesanato, restaurantes e hotéis. Um dos atrativos da cidade são as piscinas naturais, as termas, mas nós não chegamos a conhecer.

Aguas Calientes, Peru com crianças Aguas Calientes, Peru com crianças

Chegamos a Aguas Calientes já de noite e fomos direto para nosso hotel que ficava bem em frente da linha do trem. Entretanto, tivemos problemas com o hotel, para o qual fizemos a reserva pelo Hotéis.com. Foi a primeira vez que algo deu errado nas nossas reservas online. O problema foi que o hotel reservou mais quartos do que tinha disponível e, quando chegamos, não havia mais vagas. Mostramos nosso voucher de reserva impresso há meses e a funcionária ficou toda sem jeito. Foi procurar outro hotel que tivesse quarto àquela hora e ainda tinha que ser para quatro pessoas. Acabou nos encaixando num hotel próximo, mas em quarto triplo. Os meninos tiveram que dividir a cama e, mesmo não tendo gostado muito do hotel, não tínhamos muita opção naquele momento. Sendo apenas um pernoite, encaramos, mas sem dúvida não recomendo o hostel La Payacha que nos causou todo esse transtorno. Na confusão, nem tirei fotos dos hotéis, ou dos quartos, por isso nem farei um post exclusivo sobre eles.

Fachada do hostel La Payacha, Aguas Calientes, Peru com crianças

Fachada do hostel La Payacha

Aguas Calientes já estava bem deserta às 21:00, mas as lojinhas ainda estavam abertas e muitos restaurantes funcionavam. Paramos em um apenas para comer uma pizza rápida antes de nos entregarmos ao cansaço e nos prepararmos para o que nos aguardava no dia seguinte, a cereja do bolo, o ápice dessa viagem, o qual não foi deixado por último à toa. Era dia de conhecermos a cidade mágica dos incas. Era dia de Machu Picchu.

 
 
(Facebook   Twitter   Instagram)

_______________________________________

Posts relacionados:

Hostel em Cusco (Los Áticos)

Peru com crianças – Cusco (Boleto Turístico)

Peru com crianças – Cusco (City Tour)

Peru com crianças – Tour pelo Vale Sagrado dos Incas

Categorias: Águas Calientes, Machu Picchu, Peru, Viajando | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: