Brasil

Rio de Janeiro – Forte de Copacabana

Por incrível que pareça, já morei no Rio de Janeiro inúmeras vezes e nunca havia visitado o Forte de Copacabana. Claro que já fui caminhar no famoso calçadão. Quem nunca? E via o forte lá no finalzinho da praia, de longe, olhando para mim, chamando, mas não entrava. Mal sabia o que estava perdendo. E o pior de tudo, nem sequer pagaria a entrada, já que para militares e dependentes é gratuito. Aí já era de mais, né? Tinha que resolver essa questão o quanto antes, afinal querer viajar o mundo e não conhecer  o que a própria cidade onde mora tem a oferecer é um tanto vergonhoso. Então lá fomos nós “turistar” no Rio de Janeiro, o nosso lar do momento (no próximo ano, só Deus sabe) e destino de viagem de milhares de pessoas do Brasil e do mundo, começando por explorar o Forte de Copacabana.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Construído em 1914, tendo como objetivo o reforço da defesa da Bahia de Guanabara, o forte ocupa uma área de 114.169m2. Tinha um potente sistema de canhões de fabricação alemã e fora considerado a mais moderna praça de guerra na América do Sul, além de ter sido palco de diversos fatos históricos. Com a extinção das Baterias de Artilharia em 1987 e a fundação do Museu Histórico do Exército (1996), o forte passou a ser um local de preservação da história do Exército Brasileiro.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

O grande problema para quem visita o forte é que não há estacionamento no local, sendo necessário achar uma vaga pelas ruas (missão quase impossível) ou pagar a fortuna cobrada em estacionamentos rotativos. Fomos num sábado, por volta das 16h, e rodamos nem sei quantas vezes para conseguir uma vaguinha perdida.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Os primeiros metros que caminhamos pela lateral do forte já foram suficientes para causar aquele arrependimento por não ter estado ali antes. A vista do mar, da praia, da orla, do Pão de Açúcar é privilegiada.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Quanto mais para o interior do forte, melhor fica a paisagem. Só é preciso ter cuidado com as crianças pequenas porque a mureta é bem baixa, sendo, inclusive, proibido sentar nela para evitar acidentes.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Antes de visitarmos o museu, fomos na recepção da Confeitaria Colombo para verificar o tempo de espera. Já estivemos diversas vezes na Colombo do centro da cidade, era ponto de parada obrigatório quando vínhamos ao Rio. A filial do Forte de Copacabana nem de longe tem o charme da original, mas serviria para matar a saudade daquela deliciosa coxinha de galinha que adoro. Como não estava com espera, nem nos preocupamos, mas em dias de maiores movimentos é possível já deixar o nome na fila e continuar passeando pelo forte. Quando a mesa estiver liberada, eles ligam para o celular. A procura pelas mesas externas, por causa da paisagem, é maior do que pelo salão interno (no calor, prefiro o bom e velho ar-condicionado).

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

O Museu Histórico do Exército ocupa dois andares e na recepção está disponível um audio tour em três idiomas, inglês, espanhol e português. O custo é de 10R$.

O melhor é subir direto para o segundo andar (tem elevador), onde está o Salão Colônia/Império, e vir descendo, porque fizemos o inverso e não seguimos a exposição em ordem cronológica. Em várias vitrines, encontramos cenários bem montados que remetem a algum fato histórico militar do período colonial.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Vamos lendo sobre a história do nosso país como o descobrimento do Brasil, as expedições Bandeirantes que influenciaram a formação do território brasileiro, a Batalha dos Guararapes, a Tríplice Aliança, além de personalidades como Conde de Linhares, Duque de Caxias e Marechal Deodoro da Fonseca.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Nesse andar há uma área destinada às crianças onde podem pintar e desenhar.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

No primeiro andar fica o Salão República, no mesmo estilo do anterior, mas contando a história do período republicano, como a Revolta da Armada, a Guerra de Canudos, os 18 do Forte, a modernização do Exército e até a participação na II Guerra Mundial com a Força Expedicionária Brasileira.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Confesso que o museu nos surpreendeu pela qualidade das exposições e material informativo. Pena que não havia nem fumaça dos guias ilustrativos que deveriam estar na entrada das galerias, disponíveis em inglês, espanhol e francês.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Nós passamos ainda pelos Gabinetes de Curiosidades e pelo Salão dos Presidentes Militares.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Existem ainda exposições temporárias e a que estava ocorrendo no dia era “Condecorações e Bandeiras Históricas Brasileiras”, localizada no salão na entrada do Museu Histórico.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

A visitação à fortificação só não é melhor pelo cheiro de mofo no interior. Construído em forma de casamata, ou seja, parcialmente subterrânea e com a parte superior abobadada, a fortificação possui paredes externas com 12 metros de espessura para acolher as cúpulas giratórias dos canhões alemães. Ao total, são dois canhões de 305mm capazes de atingir alvos a 23km de distância, além de 2 canhões de 190mm e duas torres de canhões de 75mm.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Vamos passando por várias câmeras no interior da Fortificação, incluindo o paiol, as câmaras de tiro, os alojamentos, a enfermaria, a usina a diesel, entre outras. Os meninos adoraram e queriam saber de tudo fazendo várias perguntas para o pai. Para as crianças, foi a melhor parte do passeio.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Por fim, não se pode deixar de subir à Cúpula dos Canhões. A vista é maravilhosa! Muita gente aproveita para passar um tempinho sentado por ali curtindo a paisagem.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Quando retornamos para encerrar com um lanche na Confeitaria Colombo, já estava com uma pequena fila de espera. Resolvemos aguardar, mas só para acabar nos decepcionando, pois a coxinha de frango havia acabado. Ainda faltava mais de uma hora para o estabelecimento fechar em pleno sábado de sol numa região altamente turística e a administração deixa que um de seus produtos principais se esgote. Lamentável! Como é chato para um cliente pedir algo do cardápio e ouvir que não tem. Falha grave da Colombo. Para não termos perdido nosso tempo à toa, comemos ao menos a bomba de chocolate e fomos embora. E detalhe que apenas três doces, um salgado e dois refrigerantes já foram suficientes para a conta passar dos 60 reais. Da próxima vez vamos é experimentar o concorrente, o Café 18 do Forte.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Gostamos muito do passeio para um fim de tarde no Rio de Janeiro, onde tivemos a oportunidade de aprender mais sobre a história, experimentar a sensação de estar dentro de uma fortificação e ainda apreciar toda aquela beleza natural.

Forte de Copacabana Rio de Janeiro

Localização: Praça Coronel Eugênio Franco n. 1, Posto 6, Copacabana, Rio de Janeiro

Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18. A área externa, os Cafés e a lojinha ficam abertos até às 19:30.

Valores: adultos – 6R$;

– estudante, maiores de 60 anos e professores das redes municipal, estadual e federal (com apresentação da carteira de professor) – 3R$.

– crianças menores de 10 anos, militares das Forças Armadas e seus dependentes, e maiores de 80 anos – gratuito.


(Facebook   Twitter   Instagram)
 
 
 

______________________________________________

Posts relacionados:

Porto Alegre (sugestão de como conhecer e onde ir)

Parque Mundo Gelado (Canela/RS)

Terra Mágica Florybal (Canela/RS)

Bate e volta a Gramado/Canela, com parada rápida em Nova Petrópolis (e sugestão de várias atrações)

Categorias: Brasil, Rio de Janeiro, Viajando | Tags: , , , , | 1 Comentário

Parque Mundo Gelado (Canela/RS)

O Parque Mundo Gelado fica em Canela, na estrada que leva ao Parque do Caracol. A fachada externa já dá uma noção do que vamos encontrar… GELO. Percebemos algumas pessoas chegando à bilheteria e confundindo o Mundo Gelado com o Snowland. São duas coisas completamente diferentes. Não chegamos a conhecer o Snowland, conforme falamos aqui, mas ele oferece neve, enquanto o Mundo Gelado traz gelo.

Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha

Compramos os ingressos no local (R$25,0 adultos, R$18,0 crianças, e menores de 5 anos não pagam), recebemos um crachá e tivemos que esperar cerca de 30 minutos para entrar no “parque”. Achamos muito demorado esse sistema, já que entram grupos pequenos de cada vez e o espaço interno é bem limitado.

Espera para entrar no Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha

Espera para entrar no Mundo Gelado

Quando finalmente entramos, vamos para uma sala onde colocamos as roupas apropriadas. São longos casacos com capuz e luvas. Tudo isso para aguentar o frio dentro do Mundo Gelado. Os casacos ficam pendurados e organizados por tamanhos, desde os menores para crianças, até os GGs. Depois de todos devidamente paramentados, assistimos a um vídeo de cerca de 4 minutos que mostra uma historinha de ficção sobre o surgimento do Mundo Gelado em Canela e apresenta o mascote do parque, o Floc. O vídeo é bem amador, mas cumpre o objetivo.

Roupas de frio do Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha

Roupas de frio do Parque

Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha

Floc

Passamos, então, para um primeiro ambiente, onde já sentimos a brusca mudança de temperatura. Segundo informações do guia que acompanha todo o passeio, a temperatura nesse local é de 10 graus negativos. Mas ainda fica mais frio. Basta abrir uma porta e estamos dentro do Mundo Gelado propriamente dito. E é GELADO mesmo!!! Vinte graus negativos!! Em pouco tempo, já sentimos os efeitos da temperatura, a boca fica dormente, os pés congelados… Por isso, recomendam que os visitantes estejam de calça cumprida e sapato fechado com meia. Eu estava de Crocs e sem meia e senti muito o frio nos pés. O tempo máximo de permanência no local é de 30 minutos, mas pode sair no momento que desejar. Nós não ficamos os 30 minutos. Primeiro, porque as crianças não aguentaram o frio. Segundo, porque não tem o que fazer ali dentro durante 30 minutos.

Game of Thrones, mas com trono de gelo Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha

Game of Thrones, mas com trono de gelo

Brinde na mesa de gelo Brinde na mesa de gelo

O Mundo Gelado consiste em um espaço com escultura de gelo, mas é até bem pequeno e, dependendo da quantidade de pessoas do grupo, fica até difícil de se locomover no interior e de tirar fotos. Nas esculturas de gelo, podemos tocar, sentar, deitar… Existe mesa, trono, cama, televisão, sofá, trenó, árvore de natal, e até um vaso sanitário. Tudo de gelo! Ok, é diferente, bonito, bem feito. Isso não tem como negar. Mas… sinceramente? Não acho que valha o valor do ingresso. Claro que para quem nunca foi, pode valer a visita, mas não espere muita coisa. Quando terminamos de ver todas as esculturas, achamos que passaríamos para outra sala, onde teria mais alguma coisa. Não tinha. Era só aquilo mesmo. Enfim… ficamos um pouco decepcionados e nos lembramos de quando estávamos esperando para entrar no parque e ouvimos um senhor que, ao descobrir o preço do ingresso, disse: “se eu quiser ver gelo, é só abrir a geladeira e olhar dentro, e é de graça”. Ele não deixa de ter certa razão. Mas serviu para conhecer!

Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha Parque Mundo Gelado Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha Parque Mundo Gelado Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha Parque Mundo Gelado, Canela, Serra Gaúcha

Na saída, passamos por uma lojinha com produtos do Mundo Gelado, onde pode-se tirar uma foto para guardar de recordação. Não perguntei o valor da foto. No local, há uma cafeteria e sorveteria bem bonitinha.

Parque Mundo Gelado IParque Mundo Gelado Parque Mundo Gelado Parque Mundo Gelado Parque Mundo Gelado

Para quem está com criança, é um passeio divertido e diferente que os pequenos acabam gostando, apesar de que podem não conseguir ficar os 30 minutos no interior do Mundo Gelado. Já quem está viajando sem criança, recomendaria outras atrações em Gramado/Canela que valeriam mais o dinheiro gasto. Mas é só a minha opinião. O único jeito de saber se vai gostar, ou não, é conhecendo. Não me arrependo de ter visitado, só achei o valor alto para o que oferece.

O Mundo Gelado funciona das 9h às 18h diariamente (fechado nas quartas-feiras).

 
 
 

(Facebook   Twitter   Instagram)

 

________________________________________________

Posts Relacionados:

Porto Alegre (sugestão de como conhecer e onde ir)

 

 

Categorias: Brasil, Gramado/Canela, Viajando | Tags: , , , , , , | Deixe um comentário

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: