Resenha – NO LIMITE DA ATRAÇÃO (Katie McGarry)

Resenha No limite da atração Katie McGarry

No limite da atração

Título: No limite da atração

Título original: Pushing the limits

Autor: Katie McGarry

Editora: Verus

ISBN: 9788576862161

Categoria: Literatura Estrangeira/Romance/New Adult

Ano de lançamento: 2013

Páginas: 364

Sinopse: Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola, se transformou em uma “esquisita” cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Ela só gostaria que as coisas voltassem ao normal. Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. Supostamente, eles não têm nada em comum. E, com os segredos que ambos escondem, ficar juntos vai se mostrar uma tarefa extremamente complicada. Ainda assim, é impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente. No limite da atração é um livro sexy e envolvente sobre o amor de duas pessoas que estão perdidas e que juntas tentam desesperadamente se encontrar.

“O pior tipo de choro não era o que todo mundo podia ver – os gemidos, as roupas rasgadas. Não, o pior tipo acontecia quando sua alma chorava e, não importava o que você fizesse, não havia consolo. Algo murchava e se tornava uma cicatriz na parte da alma que sobrevivia. Para pessoas como a Echo e eu, a alma tinha mais cicatrizes do que vida.” Noah

No limite da atração foi um livro que me surpreendeu muito positivamente. Achei que iria encontrar uma coisa e achei outra ainda melhor. Fui completamente sugada para dentro da história de Echo e Noah, mergulhando nos seus traumas, nos seus problemas, nas suas dúvidas e no amor que os uniu. O título traduzido não transmite corretamente a sua profundidade e complexidade, pois ou parece tratar apenas de um romance sensual ou mais uma história adolescente, quando, na verdade, envolve nada disso e muito mais que isso. A capa também passa uma ideia errada de uma história focada apenas no romance quando a trama é riquíssima, intensa e cheia de conteúdo, com personagens bem construídos, problemáticos e muito complexos.

A narrativa é em primeira pessoa, mas intercala as perspectivas da Echo e do Noah. Isso faz com que possamos entender profundamente ambos os personagens, promovendo maior interação com eles e nos cativando com seus sentimentos, suas dores e suas histórias de vida. Echo era uma das garotas populares da escola em que estudava, tinha muitos amigos e uma vida “normal”. Até que algo acontece e ela se torna a esquisita da escola, escondida sobre blusas de mangas compridas e luvas, com cicatrizes pelo corpo que deixaram marcas que vão além das consequências físicas. Ela não lembra o que aconteceu, nem o porquê de sua mãe ter uma medida de restrição contra ela e busca as respostas para preencher as lacunas na expectativa de voltar a ter alguma normalidade em sua vida. E é essa necessidade de saber o que aconteceu com Echo que impulsiona a leitura num ritmo frenético, deixando o leitor curioso para saber cada vez mais sobre a história.

Noah era atleta e bom aluno, até que perdeu seus pais num incêndio e foi separado dos irmãos mais novos. Entregue ao sistema de adoção, passa a pular de um lar adotivo para outro, sendo visto como um garoto problema, deixando os estudos de lado e entrando no mundo das drogas. Sua luta é para reunir a família, algo que, mesmo com todos seus esforços, nunca será como antes. Echo e Noah fazem terapia com a Sra Collins, o que acaba os aproximando quando Echo passa a ser monitora de Noah. O que no início era uma obrigação, se transforma numa ajuda até se tornar algo muito maior. O relacionamento deles é lindo, sincero, saudável e curador.

Outros personagens merecem destaque como a Lila, que cumpre muito bem seu papel de melhor amiga da Echo, estando ao seu lado em qualquer situação. A Ashley é a responsável pelas passagens mais cômicas que dão uma aliviada no enredo. A Sra Collins nos faz entrar profundamente na cabeça dos protagonistas, enquanto busca conquistar a confiança de Noah e Echo e ajudá-los. Se for falar de todos os personagens marcantes, vou passar o resto do dia aqui, pois mesmo os secundários são realistas e bem construídos. O pai da Echo, os irmãos adotivos de Noah, Isaiah e Beth… Parei!

Esse não é mais um livro de garotos problemáticos com pouco desenvolvimento da história. Aborda vários temas como adoção, perdas, transtorno bipolar, drogas, violência doméstica. Em No limite da atração, acompanhamos claramente a evolução dos personagens, suas descobertas, suas redenções. É um livro que traz o amor de diferentes formas, entre o casal, entre a família, entre amigos, entre irmãos. Echo e Noah se sentiam sozinhos no mundo, cada um da sua forma, cada um com seus traumas. Quando se permitiram amar um ao outro, se apoiaram, se compreenderam e se permitiram serem amados, conseguindo o equilíbrio para fazerem funcionar as outras coisas ao seu redor.

No Limite da Atração não é um New Adult comum, apesar de intenso, não está focado apenas no relacionamento dos protagonistas, mas nas suas histórias de vida individuais. Uma trama com uma carga emocional forte, repleto de dor e mágoas, com resoluções realistas, com sensualidade na medida certa, nada explícito, e sim sutil e suave, mas totalmente apaixonante.

Este foi o romance de estreia da autora Katie McGarry e é o primeiro de uma trilogia. Os outros, Dare you to e Crash into you, ainda não foram publicados no Brasil, mas são centrados nos irmãos adotivos de Noah, Isaiah e Beth. Cada livro é independente e tem final conclusivo. Há ainda um spin-off, Crossing the line, contando a história de Lila.

“A Sr. Collins podia agir como uma idiota e ser a pior motorista na face da Terra, mas ela sempre sabia do que falava, e eu tinha a impressão de que dessa vez não era excessão.” Noah-Nunca fica melhor – eu disse .- A dor. As feridas cicatrizam e você nem sempre sente que tem uma faca atravessando seu corpo. Mas, quando você menos espera, a dor aparece pra te lembrar que você nunca mais será a mesma.” Echo

 

(Nos acompanhem também noFacebook      Twitter      Instagram)
 
____________________________________________________________________

Posts relacionados:

Resenha – MÉTRICA (Colleen Hoover)

Resenha – FIQUEI COM SEU NÚMERO (Sophie Kinsella)

Resenha – ENTRE O AGORA E O NUNCA (J. A. Redmerski)

Outras resenhas

Anúncios
Categorias: Lendo | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: