Resenha – AZAR O SEU! (Carol Sabar)

Resenha Azar o seu!  Carol Sabar

Azar o seu! – Carol Sabar

Título: Azar o Seu!

Autor: Carol Sabar

Editora: Jangada

ISBN: 9788564850361

Categoria: Literatura Nacional/ Romance

Ano de Lançamento: 2013

Páginas: 368

Sinopse: Bia está parada num engarrafamento na Linha Vermelha, no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada. Sem emprego, atolada de dívidas, ela não imagina que está prestes a viver a grande coincidência da sua vida. O motorista do carro ao lado está buzinando, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido… E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. O motorista sai do carro, mas não a tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado ao seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor de adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor.

“Eu nunca ligara para um telessexo na vida, seria carência demais até para mim, que já havia digitado ‘I love you’ no Google Tradutor e clicado no botão ‘ouvir’ só para me emocionar com a voz da máquina declarando seu amor por mim.” (Bia)

Depois de ter lido Como (quase) namorei Robert Pattinson, nem pensei duas vezes em comprar o novo livro da autora brasileira Carol Sabar. E não me decepcionei! Alegre, contagioso, apaixonante, divertido. Uma leitura deliciosa que entretém, arranca risos, faz o coração bater mais forte e ainda traz reflexões. Fala de amor, de amizade, de perdão, de autoconhecimento.

Azar o seu! é narrado em primeira pessoa pela Bia, uma jovem de 25 anos graduada em administração de empresas pela Universidade Federal de Juiz de Fora, que, apesar de um currículo incrível, acaba de perder o emprego e volta a morar com o pai em Juiz de Fora. Ela está passando por um momento difícil, onde nada dá certo, perseguida por uma grande maré de azar. O que dizer da Bia? Ela é o que podemos chamar de “uma figuraça”. Muitas vezes, nem parecia que tinha 25 anos, fazia coisas infantis, era cabeça dura, mas, de qualquer forma, é impossível não amá-la. E mais impossível ainda é não rir com ela. Ela se mete em cada uma, uma verdadeira “azarada-mor”, trazendo situações muito divertidas que tornam a leitura um maravilhoso entretenimento. Uma das características que chama a atenção em Bia é o orgulho. Por ser tão orgulhosa, ela é difícil de dar o “braço a torcer” e muitas das situações em que se mete são decorrência disso. Assim, perde o emprego, a melhor amiga e o amor de sua vida. Quem olha de fora, pensa que tudo seria tão fácil de resolver se ela deixasse de ser tão teimosa, mas aí não teria um livro tão legal! 😉

O livro também me deixou uma grande lição, a amizade! Aquela amizade verdadeira, de uma vida inteira, que ultrapassa barreiras, que é guardada nas melhores memórias de uma época que não volta mais. Eu adorava quando a Carol Sabar trazia as recordações da infância da Bia com a Raíssa e o Guga. Era inspirador de ler, e triste de saber que aquilo que existia entre eles estava quebrado por desentendimentos tão bobos. Mas à medida que vamos lendo, percebemos que não há nada quebrado, apenas rachado, mas que os sentimentos entre eles é muito maior do que o orgulho que possa parecer impenetrável.

O Guga é aquele personagem que conquista o coração. Espirituoso e doce, mas um tanto prepotente. Tem sempre uma resposta na ponta da língua, cativa a cada palavra, embala só de imaginá-lo cantando. Queria que o livro tivesse som para poder ouvir suas músicas e saber se sua voz era como eu imaginava.

Entretanto, pela primeira vez, não foi a mocinha, nem mesmo o mocinho, da história que me conquistou. Foi a melhor amiga. Não sei explicar, mas a Raíssa ganhou meu coração. Pude ver que ela era o verdadeiro elo daquele trio. Sua ligação com o irmão era encantadora e sua amizade com Bia me dava um aperto no coração, era um misto de alegria ao ler as lembranças de Bia e de tristeza ao vê-las separadas. Ficava numa torcida organizada para que deixassem de lado o indiferente e reatassem o relevante, a amizade. E, principalmente, fiquei com um desejo enorme de ter vivido uma amizade assim.

A história também ensina quanto ao poder do perdão e quanto à importância de superar o medo que nos impede a dar passos na vida que possam nos levar pelo caminho da felicidade. Mais importante que o reencontro de Bia com Guga, ou mesmo com Raíssa, está o seu reencontro consigo mesma.

O que mais me impressiona na escrita da autora é a sua capacidade de fazer o leitor se sentir tão próximo dos personagens. Eu sentia como se estivesse conversando com a Bia, uma amiga íntima dela. Seus pensamentos são muito engraçados, meio imaturos, mas percebemos seu crescimento e amadurecimentos ao longo da história, sem nunca deixar de ser divertida e animada. Ao ler as histórias de Carol Sabar, lembrei muito o estilo da escritora inglesa Sophie Kinsella, com sua escrita envolvente, leve e recheada de humor.

Carol Sabar ganhou de vez um grande fã, que vai esperar ansiosa por mais e mais livros, com a certeza que irei ter momentos de muita diversão a cada palavra. E azar o de quem está perdendo tempo para ler esse chick-lit nacional, com nossos costumes, nossas gírias, nossa cultura, nossa realidade… nossa autora.

“Talvez o G trocasse tudo que conquistou lá na Rússia pela chance de nunca ter de passar pelo sofrimento de ser um desconhecido aos olhos da garota em quem ele pensou durante anos, a garota mais especial, mais linda, mais importante da vida dele.” (Guga)

“ Você […] tem uma felicidade escancarada a sua frente, uma felicidade concreta, real. Não precisa nem correr. Mas está a ponto de perdê-la por se recusar a dar um passo.” (pai da Bia)

 
(Nos acompanhem também noFacebook      Twitter      Instagram)
 

_______________________________________________________________________

Posts relacionados:

Resenha – COMO (QUASE) NAMOREI ROBERT PATTINSON (Carol Sabar)

Resenha – SIMPLESMENTE ANA (Marina Carvalho)

Resenha – PERDIDA (Carina Rissi)

Resenha – PROCURA-SE UM MARIDO (Carina Rissi)

Anúncios
Categorias: Lendo | Tags: , , , , | 3 Comentários

Navegação de Posts

3 opiniões sobre “Resenha – AZAR O SEU! (Carol Sabar)

  1. Gostei da resenha Thyl!!!

    Aproveito para avisar que criei uma página no face para o meu blog,.. Passa lá… Beijos Beijos

    https://www.facebook.com/pages/Ju-Frufru/650697674942968?fref=ts

    jufrufru.wordpress.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: