Resenha – MÉTRICA (Colleen Hoover)

Resenha Métrica Colleen Hoover

Métrica – Colleen Hoover

Título: Métrica

Título Original: Slammed

Autor: Colleen Hoover

Editora: Galera Record

ISBN: 9788501401861

Categoria: Literatura Estrangeira/ Romance / New Adult

Ano de Lançamento: 2012

Páginas: 304

Sinopse: Após a morte do pai, a ausência torna-se a maior companheira de Lake. A responsabilidade pela mãe e pelo irmã caçula a congelam num limbo de luto e dor. Por fora, ela parece corajosa e tenaz; por dentro, está perdendo todas as esperanças. E se mudar do único lar que conheceu não ajuda nada. Agora em uma nova casa, em uma nova cidade, ela precisa achar seu caminho. E um rapaz apaixonado por poesia pode ser o guia perfeito. Quando conhece o novo vizinho, Layken imediatamente sente uma intensa conexão. Algo que finalmente parece desanuviar um pouco sua realidade. Mas o caminho da verdadeira felicidade não é feito de tijolos dourados, e logo uma revelação atordoante faz o novo relacionamento ser bruscamente interrompido. O dia a dia vai se tornando cada vez mais doloroso à medida que eles se esforçam para encontrar um equilíbrio entre os sentimentos que os aproximam e as forças que os separam. Layken e Will precisam decidir se o amor é mesmi a maior das recompensas. E se estão dispostos a tudo para vivê-lo. Até mesmo magoar um ao outro. Na poesia dos dois, talvez a estrofe perfeita seja solitária e ímpar. E amor rime com dor.

“E daí que a dor sobre a qual você escreveu ano passado não é o que você está sentindo hoje? Pode ser exatamente o que a pessoa na primeira está sentindo. O que você está sentindo agora, e a pessoa a quem suas palavras talvez afetem daqui a cinco anos – é por isso que se escreve poesia.”

UAU! Simplesmente uau! Não sei mais o que dizer de Métrica. Pois é, estou sem adjetivos! Ou mesmo sem substantivos, verbos ou qualquer classe gramatical que me ajudem a explicar esse livro. Por incrível que pareça, não acho as palavras para descrevê-lo. Quem acreditou que isso um dia pudesse acontecer? Eu sem conseguir escrever… UAU!

Posso começar dizendo que o livro, como está escrito na capa (poxa, a coisa está feia! Tão sem palavras que estou a ponto de começar a resenha copiando a frase da capa!), “é diferente de tudo que se vê por aí”. Bom, pelo menos de tudo que eu tenha lido! Por vários motivos. Para começar, traz uma mistura deliciosa de romance com poesia. Sim, eu disse poesia! Vai ter quem diga “ah, não gosto de ler poemas”. Mas em Métrica até quem não gosta vai se apaixonar. Até quem tem traumas de aulas sonolentas de literatura não vai querer dormir antes de acabar. Até quem diz não entender nada de poesia vai se identificar. E quem sabe até não resolva se aventurar. Participar de Slam Poetry, quem sabe? Métrica não traz apenas a poesia, e sim o Slam Poetry, uma forma de performance poética, uma competição onde a pessoa apresenta seu poema num palco. Mas não é apenas subir e ler. Está mais relacionado às artes cênicas, ou seja, interpretar, colocar à poesia a expressão corporal, a entonação da voz e transmitir para a plateia seus sentimentos, suas dores, suas alegrias ou o que suas palavras te façam sentir. E aí, quem tem coragem?

Infelizmente, achei que a tradução pode tirar um pouco do brilho dos poemas, mas ainda transmite muito sentimento. Ou mesmo pode atrapalhar no entendimento como em um dos poemas do Will em que ele usa o apelido da Layken, Lake, dizendo: “então pode ficar com seu oceano que eu fico com meu lago”. No poema todo, fica claro o contexto final e o sentido de lago, mas no inglês, lake. Leia para compreender o que quero dizer e se apaixone com as palavras de Will. Por outro lado, o título nacional foi muito bem colocado, fazendo referência à sílaba poética, o que tem tudo a ver com o livro e o Slam Poetry.

É Will que nos apresenta o Slam Poetry e nos mostra um pouco da sua sensibilidade, do seu coração, do seu passado e da sua vida dolorosa. Will conhece Layken quando ela chega de mudança para a casa em frente. Layken é a protagonista e narradora de história. Ela tem 18 anos, mora com a mãe e o irmão mais novo de 9 anos, perdeu o pai há 6 meses e sua mãe diz que precisam se mudar por questões financeiras. Assim, ela sai do Texas, onde morou a vida toda, para o Michigan, vendo sua vida mudar completamente. Mas percebe que a nova cidade não é tão ruim assim quando conhece Will, seu vizinho de frente. A atração entre eles é imediata. Isso me incomodou porque foi tudo muito rápido. Eu não gosto quando o casal se envolve de supetão, soa falso e dificulta a identificação com os sentimentos dos personagens. Prefiro quando vamos acompanhando o sentimento nascer, o elo se estabelecer, a atração se transformar em paixão e, então, em amor. Essa coisa mais gradual! Não é o que acontece em Métrica, não há grande aprofundamento do romance em si. Tudo bem que o livro não é um desses centrados exclusivamente no romance. Ele tem uma certa carga dramática, algumas frases de efeito, alguns percalços no caminho do casal que, ao mesmo tempo que dificultam, os fazem crescer, levando os personagens a amadurecerem com seus erros, a insistirem e persistirem sempre. Porém (claro que tem um porém, nada é perfeito) achei que a história como um todo não foi adequadamente aproveitada, sendo pouco aprofundada, e as potenciais complexidades dos personagens foram mal exploradas. Ficou meio superficial. Os momentos de maior interação eram exatamente através da poesia, onde se concentravam os sentimentos e a sensibilidade dos personagens.

É exatamente através do Slam Poetry que conhecemos melhor todos os personagens, inclusive os secundários como a maravilhosa e divertida Eddie. A autora usa a poesia para transmitir a história de vida e os sentimentos dos seus personagens num encantador jogo de palavras. Ela mostra como é libertador poder se expressar através da escrita e que aquele que tem algo a dizer não deve se preocupar com a pontuação ou com o que os outros vão pensar e sim se permitir extravasar ao desabafar com o papel e a caneta. Será que me identifiquei com o livro?

Tá, e a história? Ah, a história em si é fofa e romântica, mesmo que seja, como andam criticando, cheia de clichês. Com as ressalvas já ditas, penso podia ter sido ainda melhor. Uma trama centrada em um amor proibido, repleta de paixão, desejo, carinho, confiança… e muitas dificuldades e dores. Traz também o amor fraterno, doce, amigo e agregador. Não foi o livro mais bem escrito que já li, tecnicamente falando, nem o mais emocionante, mas com certeza foi diferente, trouxe ensinamentos (como qualquer livro é capaz de trazer) e me encantou. Enfim, sim, é um livro muito recomendado, pois, no balanço final… UAU! E acho melhor parar por aqui, pois já escrevi demais. Para quem não tinha o que escrever… 😉

Métrica faz parte de uma trilogia. Os livros seguintes, Pausa (continuação de Métrica, mas não me pergunte o que ainda tem para continuar) e Esta Garota (história contada pelo ponto de vista do Will), ainda não foram lançados no Brasil.

“Arrependimento é contraproducente. É ficar se lembrando de um passado que não pode mudar. Duvidar das coisas à medida que elas ocorrem pode evitar que o arrependimento surja no futuro.” 

 Outras resenhas.
 
(Nos acompanhem também noFacebook      Twitter      Instagram)
 
Anúncios
Categorias: Lendo | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: