Viajando com crianças (parte 1): vale a pena?

Vamos falar sobre uma questão que sempre me perguntam e que sei que gera ansiedade: viajar com crianças.

Eu tive as duas experiências, viajei bastante com os meus meninos e uma vez apenas com o marido. São duas viagens completamente diferentes, sem dúvida. Claro que o casal pode e deve fazer uma viagem a dois sem culpa ou peso na consciência. Não vou dizer que é fácil. Foi doloroso deixar meus filhos pela primeira vez, mesmo sabendo que eles estariam em segurança e bem cuidados. O coração fica apertado independente de qualquer coisa. Quando embarquei para Los Angeles, chorava tanto que nem parecia que estava viajando de férias. Demorou um pouco para essa sensação estranha diminuir, mas depois entrei no clima da viagem e deu para curtir e aproveitar. Mas a saudade… ah, essa não vai embora. De forma que a viagem ficou meio incompleta, eu estava ali, mas faltava algo. Tudo que eu via, lembrava os meninos. Enfim, é bom e necessário esse tempo para o casal, esse descanso merecido, mas eu ainda prefiro viajar com toda minha família.

Vale a pena viajar com criança?

Família em NY

E aquela velha questão de levar ou não criança pequena para uma viagem internacional? Vale a pena? Ouve-se de tudo quando você diz que está levando seu filho pequeno para uma viagem dessas. Tem quem diga que é jogar dinheiro fora. Ou que a criança não vai lembrar nada depois. Ou que os pais não vão aproveitar nada. Sempre tem alguém para dar um palpite e encher a cabeça de dúvidas. Pois eu digo, levei o Matheus e o Gabriel com 3 anos e não me arrependo nem um pouco. Sim, viajar com crianças tem suas limitações, mas o saldo é muito positivo. Em nenhum momento, considerei que estava jogando dinheiro fora ao proporcioná-los essa experiência. Se há condições financeiras de fazer, os benefícios compensam qualquer outro transtorno. E sim, dá para aproveitar a viagem, só que de uma forma diferente, em família, com seus filhos, respeitando seus limites, tendo flexibilidade e evitando criar grandes expectativas.

Vale a pena viajar com criança?

A questão de eles lembrarem, ou não, é relativa, porque muitas coisas ficam sim na mente da criança e a experiência de vida, a cultura assimilada, a diversão, os momentos em família, tudo isso marca de uma forma importante. Meus filhos lembram coisas que me impressionam, que muitas vezes eu mesma já esqueci. Porque a sensibilidade da criança é diferente e aguçada, seus conceitos daquilo que é importante são tão diferentes do nosso. Eles se prendem a detalhes, ao que lhe proporcionou bem-estar, ao que se destacou aos seus olhos. Pode ser uma comida, ou uma decoração, coisas que para os adultos passaram sem importância, mas para eles ficaram recordações. Um dia, mais de um ano depois da viagem, o Matheus fez um desenho, virou para mim e disse: “olha mamãe, um pretzel”. Claro que demorou um pouco para entendermos que ele estava realmente dizendo PRETZEL. Eu não lembrava onde ele tinha visto ou comido um na sua vida, mas ele rapidamente disse: “você não lembra mamãe? Lá na cidade fria quando eu desci (do hotel) com papai e ele comprou um. Era ruim!” O pai confirmou que o fato ocorreu e eu não sabia, mas o Matheus lembrou. Assim como ele lembra muitas coisas da cidade fria, também conhecida por algumas poucas pessoas como Nova Iorque. Eles também lembram os detalhes da decoração do hotel que ficamos hospedados na Disney, enquanto precisei de fotos para confirmar que realmente existia uma mulher grande dançando numa parede por onde passei pela frente por 10 dias e não ficou na minha memória. Mas o Gabriel sabia detalhadamente. Assim como eles lembram os brinquedos de que mais gostaram e querem ir de novo, ou os que não puderam ir porque eram dos adultos. Então, como medir o que é memória relevante ou não? Como saber o que fica na mente das crianças? Como desvalorizar a experiência de vida que qualquer viagem vai a acrescentar a essas crianças? Pois eu penso que sim, vale a pena!! Disso eu não tenho dúvidas.

 Pop Century

E no caso da Disney, principalmente, a criança vai vivenciar algo que é único, que em nenhuma outra faixa etária será possível, A FANTASIA! Ela vai, realmente, viver aquela fantasia. Para ela, aqueles personagens são exatamente os que ela vê na televisão. O olhar do seu filho quando ele olha aquele Mickey, que para ele é tão real quanto qualquer outra pessoa, isso não tem preço. Quando fui à Disney pela primeira vez, tinha 15 anos e fui em excursão sozinha. Foi uma experiência inesquecível e importante para mim. Quando estava lá, lembro que voltei a ser criança como todos que vão à Disney independente da idade, mas via as crianças e pensava em como devia ser aquela experiência quando ainda se é realmente criança. Quando tive meus filhos,  tomei essa decisão que voltaria à Disney com eles quando ainda pudessem viver essa magia como crianças. Esperei eles crescerem um pouco, mas só o suficiente para poderem aproveitar mais os brinquedos e os parques, e também que já andassem, não usassem fraldas e comessem de tudo, porque achei que facilitaria a experiência. E foi maravilhoso!

Viajando com criança, vale a pena?

À medida que for colocando os posts com os relatos da nossa viagem, vai ficar claro como é totalmente possível fazer uma viagem maravilhosa com crianças sem se privar e aproveitando muito. E quanto àquelas questões: como a criança vai se comportar numa longa viagem de avião? Vai ficar muito cansada nos parques? E a alimentação? E a segurança? Vou escrever nos próximos posts como lidamos com cada situação e talvez sirva de sugestão para cada um achar sua melhor forma de adequar à sua realidade.

 
(Nos acompanhem também noFacebook      Twitter      Instagram)
 

_______________________________________________________

Posts relacionados:

Viajando com crianças (parte 2): envolvendo os pequenos

Viajando com crianças (parte 3): durante o voo

Viajando com crianças (parte 4): segurança

Viajando com crianças (parte 5): outras informações

(Pré-viagem) Inventando arte: etiquetas para malas e para carrinho de bebê, envelopes para gorjetas e camisetas

Anúncios
Categorias: EUA, Planejamentos, Viajando | Tags: , , , , , | 4 Comentários

Navegação de Posts

4 opiniões sobre “Viajando com crianças (parte 1): vale a pena?

  1. Veronica

    Fico pensando em como vai ser bom ir com Deinha… Espero que o dólar colabore!

  2. Oie!!

    Adorei o seu blog e mto bom o POST! Ainda não tenho filhos, mas penso que quando tiver, com certeza os levarei comigo nas viagens internacionais.

    Passa no meu blog, estou fazendo relatos sobre a minha viagem de NYC.,.

    bjs

    jewcosta.wordpress.com

    • Thyl Guerra

      Que bom que gostou! Viajar é tudo de bom sempre! Com os filhos tem um gostinho especial. Fomos a NYC em 2011 e vou passar no seu blog sim porque é sempre bom ler as experiências dos outros para aprendermos cada vez mais. Obrigada pela visita!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: