Viajando com crianças (parte 2): envolvendo os pequenos

Os meninos tinham apenas 3 anos quando resolvemos fazer nossa primeira viagem internacional com eles. Assim como todo preparativo da viagem em si, comecei também a prepará-los para o que iríamos enfrentar. Sempre ficam aquelas preocupações: como eles vão se comportar? Vão ter pique para aguentar uma rotina em parques o dia todo? Terão paciência com as filas ou ficarão perturbando? Como será a viagem de avião? Muitas perguntas, poucas respostas e infinita ansiedade.

1 – Rotina de filas

As filas eram algumas das minhas maiores preocupações, porque quem tem filho pequeno sabe como é complicado fazê-lo ficar quieto esperando algo. Sempre que íamos a algum lugar e havia fila, os meninos ficavam agoniados, querendo passar a frente, inquietos, impacientes. Nada que educar e ensinar não resolvesse, então fui apresentando-lhes as filas. Já íamos conversando que iríamos pegar fila na casa do Mickey e que precisávamos esperar nossa vez e ter paciência. Fizemos alguns treinos em shoppings, ou qualquer oportunidade que tivessem a experiência de passar um pequeno tempo numa fila (isso não foi muito divertido!). Depois, aproveitamos para levá-los a parques aqui do Brasil, como o Hopi Hari, em São Paulo. E me surpreendi em como encararam, de forma que comecei a me tranquilizar mais quanto a isso. E, no fim, fomos numa época em que pegamos pouco movimento nos parques de Orlando e as filas interativas também ajudam muito a passar o tempo mais rápido e distrair as crianças.

Entrando no Hopi Hari

No Hopi Hari

Outra preocupação era quanto aos brinquedos que eles poderiam ir e, principalmente, aos que não poderiam devido às restrições de altura. Fui acompanhando o crescimento deles durante esse período e sabia que se tivessem, ao menos, 1,02 metros, atenderiam a restrições em praticamente todos os brinquedos, exceto nas montanhas russas e poucos outros.

Restrições de altura parques Disney

Exemplo

Então, já ia falando sobre os brinquedos que seriam só de adultos, os quais eles teriam que entender e esperar. Eles perguntavam se iam ficar sozinhos enquanto esperavam e a gente explicava que nunca ficariam sós, que o papai e mamãe iam ficar com eles enquanto vovó, vovô e os tios iam, e depois a gente trocava e papai e mamãe iam no brinquedo. Esse é o esquema do Child Swap, que pode ter outro nome dependendo do parque, mas o objetivo é basicamente o mesmo, fazer um rodízio de pessoas que aguardam com as crianças sem ter que voltar para o fim da fila novamente. O esquema pode variar de um brinquedo para outro, pois em uns se espera na saída; em outros todo o grupo entra na fila normal e quando chega na hora de entrar no brinquedo avisa o Cast Member e ele orienta como fazer o rodízio; há ainda uns em que se espera fora do brinquedo e recebe um cartãozinho para ir pela fila de Fast Pass, ou equivalente de outros parques (express, etc.); em outros, tem uma salinha onde espera com criança. Enfim, é só perguntar na entrada que orientam como proceder. Esse rodízio funcionou muito bem para nós. Por exemplo, entrávamos todos na fila e, na hora de ir no brinquedo, meus pais, meu irmão e cunhada iam, enquanto eu, meu marido e as crianças éramos encaminhados para um local e aguardávamos. Quando o grupo retornava, meus pais ficavam com as crianças e eu e marido íamos sem enfrentar mais qualquer fila, sendo que, na maioria das vezes, meu irmão e cunhada podiam repetir conosco. Eles nem gostaram de ir duas vezes seguidas, sabe? 😉 A mesma coisa funciona com um casal, desde que não se importe de brincar sozinho, um fica com as crianças enquanto o outro vai, e depois trocam. Todos os parques possuem esse esquema em todos os brinquedos que possuem restrições de altura ou mesmo se a criança não quiser ir por qualquer motivo, é só falar com eles que fazem o rodízio.

 Child Swap Parques Orlando

Aguardando com vovó no Child Swap

Outra coisa que também falava era sobre os brinquedos que eles iam poder brincar, se quisessem. Comprei alguns guias e comecei a mostrar as fotos, ou entrava nos sites da Disney e dos outros parques e mostrava todas fotos possíveis e explicava como eram aqueles brinquedos que eu sabia. Ou seja, conversamos muito sobre a viagem durante todos os meses anteriores. Isso foi bem importante porque, ao chegar lá, eles já sabiam tudo o que ia acontecer, estavam preparados, então não houve choros nem estresses, nem sustos com algum brinquedo. Por exemplo, o The Haunted Masion, no Magic Kingdom, eles poderiam ir, mas como tem alguns fantasminhas, expliquei e perguntei se queriam ir. Eles confirmaram, tiveram um pouquinho de medo, mas gostaram. Já no Twilight Zone Tower of Terror, eles também tinham altura para brincar, explicamos o brinquedo e eles quiseram, mas quando chegamos na parte interna da fila, que fica meio escuro e macabro, eles ficaram com medo e não quiseram mais, e respeitamos. Pedimos para fazer o Child Swap e problema resolvido. Então, nada de dizer que os pais não podem aproveitar também se estiverem com crianças, ok? 

Na fila interativa do Haunted Masion

Na fila interativa do Haunted Masion

2 – Encontro com personagens

Nos parques da Disney e da Universal, encontramos vários personagens a toda hora. Por isso, fiz uma overdose de sessões de filmes infantis durante os planejamentos da viagem. Vários personagens foram apresentados aos meus filhos, dos mais novos, aos mais antigos (não vou dizer do meu tempo, né?).

Encontro com Personagens Disney

Personagens Disney

Fiz uma pesquisa dos personagens mais comuns de se encontrar e fizemos algumas reservas em restaurantes com a presença permanente de personagens para poupar tempo nas filas dos parques. Matheus e Gabriel chegaram na viagem conhecendo praticamente todos os personagens. Até a Dama e o Vagabundo eu baixei na net para assistirem porque ia ter na decoração do nosso hotel. Com isso, eles viveram cada etapa dessa viagem também, os planejamentos e as expectativas, e curtiram muito. Falavam para todos que iam visitar a casa do Mickey. Envolvê-los nisso tudo foi bem legal.

Encontro com personagens Pluto Disney

Foto com personagem

Preparando também para os encontros com os personagens, fiz os caderninhos de autógrafos dos meninos. Fiz cartões do tamanho de uma folha A4 dividida em 4, que ficava mais prático de levar e deles segurarem. Usei papel de gramatura 180. Em cada folha, tinha o desenho de um personagem e seu nome. Alguns cartões, achei na internet, outros tive que fazer a montagem.

Cartões de autógrafo personalizado para Personagens Orlando

Cartões de autógrafo

Foram, na verdade, vários livrinhos, um pros parques da Disney, um pros parques da Universal, um para as refeições com personagens e um para o Busch Gardens e Sea World (para esses dois não vale a pena porque os personagens encontrados, da Vila Sésamo, não assinam, apenas tiram fotos). Isso para que não ficasse muito grosso se fosse um livro só.

Cadernos de autógrafos personalizados

Cadernos de autógrafos personalizados

Claro que fiz mais cartões do que os personagens que realmente encontramos, mas encadernei os livrinhos de forma que depois pudesse desencadernar cada um e juntar apenas aqueles cartões que eles conseguiram os autógrafos e fazer um livrinho único para guardarem de recordação dessa incrível aventura que viveram. Isso virou a maior diversão da viagem.

Autógrafos dos personagens Orlando

Autógrafos dos personagens

Não podiam ver um personagem que sacavam os caderninhos e corriam para pegar os autógrafos e tirar fotos. Onde tem personagem nos parques, tem fila para tirar foto e pegar autógrafo, então perde-se um pouco de tempo, mas vale muito a pena e é uma experiência muito divertida, mesmo para quem vai sem criança. Quando fomos no Akershus, os meninos cismaram que não queriam tirar foto nem pegar autógrafo das princesas. Tudo bem, aquela refeição não foi marcada por causa deles, mas por minha causa. Fui criança de novo e me realizei, tirei foto com todas as princesas e eu mesma dava o caderninho para elas autografarem. Eu e minha cunhada parecíamos, realmente, duas crianças encantadas com tudo aquilo.

Autógrafo princesas Orlando Akershus

Autógrafo princesas

Nas próprias lojas dos parques vendem cadernos de autógrafos e todos os personagens estão bem familiarizados com esse costume. Os que não podem escrever, tem alguém para carimbar seu caderninho. Eu resolvi fazer os cadernos dos meninos personalizados e foi bem divertido tanto antes da viagem como durante, porque muitos “personagens” ficavam encantados ao verem suas folhinhas personalizadas. Fica a sugestão.

Spider Man caderno de autógrafo Universal Orlando

Spider Man adorou o caderno de autógrafo

3 – Refeição com personagens

Como falei, marcamos muitas refeições com personagens aproveitando que pegamos o Free Dining Plan. Além de nos proporcionar um turismo gastronômico pelos diversos restaurantes da Disney, ainda nos poupou tempo de espera em filas para encontrar alguns personagens. Pretendo falar sobre nossa experiência em cada restaurante separado, mas aqui vou deixar a dica de uma coisa que fiz e os meninos curtiram bastante: os convites para as refeições com os personagens.

Convite para refeição com personagens Orlando

Exemplo 1

Depois que estava tudo reservado de acordo com nosso roteiro, fiz no computador alguns convites como se fossem os personagens convidando o Matheus e o Gabriel para uma refeição especial. Coloquei na caixinha de correio para que recebessem e eles se sentiram muito importantes por terem sido convidados pelo próprio Mickey para jantar no Chef Mickey, ou pelo Stitch para tomar café com a Lilo no Ohana. Guardaram os convites e fizeram questão de levar na viagem.

Convite encontro personagens Orlando

Exemplo 2

4 – Calendário

A ansiedade antes de uma viagem é grande para qualquer um, imagina para uma criança? E como os envolvemos em todos os planejamentos, claro que ficaram ainda mais ansiosos, sempre perguntando quanto tempo faltava para viajar ou reclamando que estava demorando muito para chegar o dia de irem para casa do Mickey. Como criança pequena não tem muita noção de tempo, ficava cada vez mais difícil explicar, e não adiantava falar “em Dezembro” porque eles não entendiam. Para resolver isso, faltando uns 3 meses para o grande dia, fiz um calendário diferenciado.

Sugestão de calendário para criança contagem regressiva de viagem

Exemplo 1

Coisa simples, uns quadrados com os dias do mês, só que, em cada quadradinho, coloquei um personagem da Disney, ou da Universal, ou alguns animais que eles iam encontrar por lá. Fiz desde outubro, novembro e os 10 dias de dezembro até o dia que viajaríamos.

Sugestão de calendário para criança contagem regressiva de viagem

Exemplo 2

E colei na porta do armário deles. Assim, a cada noite quando iam dormir, eles cortavam o dia que havia passado e tinham uma noção mais concreta do quanto faltava para o esperado dia da viagem. A partir de então, eles nunca mais perguntaram quando seria, nem diziam que estava demorando, porque eles iam no armário e viam que estava cada vez mais próximo. Foi muito legal e ajudou bastante nessa compreensão do tempo.

Sugestão de calendário para criança contagem regressiva de viagem

Exemplo 3

5 – Disney Dollar

O Disney Dollar foi uma brincadeira divertida e, ao mesmo tempo, uma estratégia de recompensa para bom comportamento. Imprimi alguns Disney Dollars, que são facilmente achados na internet, e dei a cada filho um envelope, onde eles iriam guardar o dinheiro que fossem ganhando ao longo do tempo antes da viagem.

Disney Dollar

Disney Dollar

Disney Dollar

Disney Dollar

Disney Dollar

Disney Dollar

O bom comportamento era recompensado com o Disney Dollar, assim como poderia ser perdido em caso de mau comportamento também. Ao final, o que eles tivessem de Disney Dollar, seria trocado por dinheiro de verdade para que comprassem algo que eles quisessem na viagem. Assim, além de estimular o comportamento, ainda fez com que economizassem para viagem e chegassem numa loja com seu próprio dinheiro conquistado e comprassem algo que fosse possível com aquilo que tinham economizado. Tudo pode virar uma forma de envolver os nossos pequenos numa viagem!

Envolvendo as crianças na viagem

Molde de envelope

 
(Nos acompanhem também noFacebook      Twitter      Instagram)
 

_______________________________________________________

Posts relacionados:

Viajando com crianças (parte 1): vale a pena?

Viajando com crianças (parte 3): durante o voo

Viajando com crianças (parte 4): segurança

Viajando com crianças (parte 5): outras informações

Retirando o passaporte

Anúncios
Categorias: EUA, Planejamentos, Viajando | Tags: , , , , | 6 Comentários

Navegação de Posts

6 opiniões sobre “Viajando com crianças (parte 2): envolvendo os pequenos

  1. Adoro o Disney Dollar… e sempre sigo as suas orientacoes de viagem, obrigada por dividir… Sempre da certo!!! beijos

  2. Adorei a sua criatividade e carinho na preparação das crianças para a viagem. Parabéns!!!

  3. An

    Nossa, fiquei encantada com seu planejamento. Não somente a viagem, mas a pré-viagem ficará para sempre na memória deles. Parabéns por tanta criatividade e carinho

    • Obrigada! Foi tudo com muito carinho msm e eles adoraram. Apesar de terem 3 anos na época e já se passaram 2 anos, eles ainda lembram muita coisa. Esse ano vamos de novo e já estão ansiosos. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: